Depois de se revelarem um sucesso nas audiências televisivas, os pesadelos de Ljubomir Stanisic, o chef jugoslavo sem papas na língua, chegaram ao fim. Para os recordar, apresentamos de bandeja, frescos e fofos, os três piores restaurantes do Pesadelo na Cozinha.

3.º Amburgaria e Pregaria Tradicional

amburgaria e pregaria tradicional

Pesadelo na Cozinha começou bem, pelo que o primeiro pesadelo ocupa o terceiro lugar da nossa lista. O chef não demorou a encontrar defeitos no restaurante e na inexperiência dos cozinheiros: foi recebido com hambúrgueres secos e nada temperados, a suposta especialidade da casa.

Localizado em Setúbal, cidade conhecida pelos fantásticos pratos de peixe fresco, a única coisa que Ljubomir prova é peixe congelado. No staff, reina a confusão: cozinheiros culpam empregados e empregados culpam cozinheiros, assim como o patrão culpa todos e todos culpam o patrão – nas suas palavras, ele tinha vontade de regar o staff com gasolina e atirar-lhes um fósforo para cima.

Por mais divertido que estes dramas sejam, foi o estado da cozinha que chocou a audiência: litros de gordura por cima do exaustor serviam de condimento dos pratos servidos aos clientes, assim como um risco de incêndio elevado.

2.º Rio Minho

Rio Minho

Rio Minho, em Lisboa, é uma pequena e (aparentemente) inocente tasca, perto da estação de Sete Rios. Logo no início do programa vê-se Elisabete, a cozinheira, a estrelar ovos com uma frigideira que era guardada no chão, debaixo da bancada, com uma grossa crosta preta a envolver o utensílio que mais parecia algo saído de um filme clássico de ficção científica.

Como a Amburgueria e Pregaria Tradicional, o exaustor pingava gordura para cima da preparação dos alimentos. Quando o chef vagueia na cozinha e encontra a tão famosa frigideira de crosta preta, questiona a proprietária se era capaz de cozinhar na mesma frigideira para os seus filhos, ao que esta responde «Jamais».

A frigideira do Rio Minho

Na verdade, o estado em que a cozinha se encontra era tão grave que Ljubomir decidiu que o melhor era fechar o restaurante e obrigar os proprietários e staff a limpar a cozinha a fundo, já que não levava uma boa limpeza desde as inundações há quatro anos.

1.º O Canela

O CanelaMas quem mais podia tomar o primeiro lugar na lista senão O Canela, o restaurante lisboeta que deu que falar nos dias que se seguiram à sua transmissão no Pesadelo na Cozinha. Gerido pelo senhor Canela e a sua mulher, O Canela é mais um perigo para a sociedade do que um restaurante: os alimentos não são frescos, não são bem conservados e muitos passaram da sua validade, sem esquecer os que eram “guardados” em cima do balcão, junto da porta para a rua. Como esquecer também a grelha onde se metiam todos os tipos de carne e peixe… O senhor Canela não discrimina.

No final, o pesadelo do chef foi mesmo causado pelas baratas, clientes habituais d’O Canela. Elas tinham total liberdade para correrem a cozinha, a sala de refeições, os pratos e copos. É de referir também o ingrediente secreto deste restaurante: a gigante bola de teias acumuladas de pó, insetos e gordura por baixo do lava-loiças e por cima da bandeja onde se marinava a carne. Sim, leste bem.

O canela - Local onde se marinava a carne

De facto, o impacto do programa dedicado a este restaurante foi tão grande que a ASAE o fiscalizou imediatamente e encerrou o espaço. Iremos ter saudades de Ljubomir e do Pesadelo na Cozinha. Não nos abriram o apetite, mas fizeram-nos pensar duas vezes antes de ir comer fora.