Durante dois dias, no liceu Carolina Michaelis, decorreram uma série de iniciativas focadas no bem-estar e no espalhar de energia Zen. A primeira edição do Porto Yoga Fest trouxe uma série de atividades de Yoga (e não só), assim como outros elementos ligados às energias positivas.

Este evento é um festival de Yoga que junta diversas atividades dentro da temática, como o Yoga, a meditação, assim como várias escolas e professores que partilham a sua paixão por estas práticas. Paralelamente existem aulas de dança, workshops de alimentação, palestras, todos ligados quer ao Yoga ou à cultura indiana”, explicou João Silva, organizador desta iniciativa que teve recentemente a sua primeira edição na cidade Invicta, nos dias 3 e 4 de junho.

Há várias formas de praticar Yoga

Como não podia deixar de ser, ambos os dias foram recheados de atividades envolvendo o Yoga e meditação. Durante a visita, foi possível aprender um pouco mais acerca do Yoga e dos seus mais variados estilos, que se adaptam aos diferentes tipos de pessoas. Modalidades como o Aero Yoga, o Acro Yoga, o Hatha Yoga, Vinyasa Yoga, entre outras, puderam ser experimentadas pelos amantes da arte. Algumas das atividades puderam ser praticadas aos pares, outras eram dedicadas às crianças e aos bebés.

O Aero Yoga foi sem dúvida uma atividade recorrente no evento. Segundo Sónia Monteiro, professora de Yoga na Free Flow, os participantes contam com a ajuda de “um material específico de tecidos, onde o trabalho de anti gravidade ajuda quem tem problemas de coluna”. A aula tanto pode ser terapêutica como acrobática para os participantes.

Enquanto de um lado, amantes do Yoga experimentaram as diferentes modalidades, os mais propensos à meditação e ao relaxamento também tiveram muito por onde escolher. As sessões de Mantra Yoga, dadas pela Professora Vera Felizardo, aliadas a um canto relaxante ajudavam os seus participantes a entrar em sintonia consigo próprios e encontrar o seu equilíbrio mental. “O Mantra vai buscar ou às escrituras, ou a atos devocionais, formas de nos colocar numa vibração boa.” explicou-nos a professora.

A Mandala foi também um objeto deveras bem vindo ao evento. Marina Valdigem (nome artístico de Marina Costa), arquiteta paisagista e instrutora de Yoga, deu um workshop de construção de mandalas, círculos de energia criados a partir de pétalas de flores, folhas e ramos, de forma a que os participantes se conectem com a Mãe Terra. “A atividade passou por várias fases: começamos por nos apresentar, criamos a intenção para criar esta mandala, e antes disso estivemos a fazer duas a três posturas de enraizamento de yoga para nos conectar com a Mãe Terra”. Todos os materiais que compuseram a mandala foram recolhidos da Serra do Alvão, Vila Real.

Também alguns grupos, tais como o NANTHA – Escola Espiritual de Yoga e Tantra, marcaram presença no evento de modo a divulgar as suas atividades dedicadas ao Yoga e ao Tantra (prática de desenvolvimento físico, mental e espiritual do indivíduo). Este grupo conduziu o evento “Meditação Espiral Yang Yogui”, que procurou colocar os participantes em ressonância com energias cósmicas benéficas.

Artesanato, cristais e aromas

Como não podia deixar de ser, o Porto Yoga Fest contou com uma miríade de objetos que espelhavam o tema do evento. Sendo o Yoga e a meditação práticas que envolvem o controlo da energia interior, era comum encontrar nas várias bancas pedras de variados tamanhos e formas, cada uma com o seu significado e propriedades.

Também instrumentos musicais tiveram o seu lugar nas bancas. Flautas, tambores, xilofones e harpas encantavam os olhares com os seus formatos simples e modestos. Mandalas com os mais variados padrões, taças de ressonância e até mesmo almofadas eram os artigos que mais transpareciam tranquilidade, e estatuetas de divindades indianas enfeitavam convidativamente as bancas.

As Mezinhas da Avó Tina, de Marina Valdigem, marcaram a sua posição no evento com os seus muito peculiares produtos. Na sua banca apresentaram-se produtos totalmente naturais, confecionados de forma familiar, tendo por base ervas e plantas medicinais. Óleos corporais, pomadas hidratantes, bálsamos e sacos mágicos eram alguns dos artigos que chamavam a atenção daqueles que gostavam de cuidar da sua imagem de forma natural e saudável.

No evento quem percorresse a pequena feira instalada no pavilhão encontrava outros elementos ligados à espiritualidade, entre os quais estão cristais com diferentes efeitos, orgonites (conhecidas como sendo bio geradores de energia devido aos cristais que a compõem), bandeiras de oração tibetanas, penduradas à entrada do evento, entre outros elementos que visam transmitir positividade aos seus portadores.

O bem-estar também passa pela alimentação

Não foi só no Yoga e na meditação que este espaço se destacou. Da mesma forma como as modalidades anteriores ajudam a fortalecer o corpo e mente, uma alimentação saudável é essencial para uma saúde mais equilibrada. E no Porto Yoga Fest não faltaram as bancas de alimentação, onde as mais variadas iguarias estavam expostas para qualquer apreciador.

O espaço Raw – Comida & Grannel, apresentado por Carla Ferreira, mostrou aos seus visitantes uma alimentação alternativa, à base de produtos biológicos e servidos em granel, cujo objetivo é a redução do uso de embalagens. Comida vegana, vegetariana e crua são alguns dos géneros de alimentação que são confecionados na hora no seu espaço, com o objetivo de proporcionar uma forma de vida mais saudável, aliada à prática do Yoga.

Por sua vez, o Despertar da Sensibilidade também mostrou os seus encantos culinários no seu espaço. Apresentada por Alcino Silva, cozinheiro, instrutor de Yoga e terapeuta de Reiki e cura quântica, a banca mostrou que a cozinha ovolactovegetariana também tem os seus encantos, conseguindo captar a atenção dos amantes deste género alternativo de alimentação. Caril de legumes, hamburgers de feijão preto, pão recheado com chitaki, sopas, saladas, bolachonas de aveia, alfarroba, canela e côco e bolos de banana e aveia foram algumas das várias delícias que foram dadas a provar.

O que esperar numa próxima edição?

Face à primeira edição do Porto Yoga Fest, as críticas revelaram-se positivas. Segundo João Silva, durante o evento, “as pessoas têm gostado muito, temos tido muita afluência e tem-se notado uma adesão da parte das pessoas mais jovens, entre os 20 e os 30”, algo que o organizador achou curioso, tendo em conta que as edições do evento em Lisboa tendem a atrair um público de uma faixa etária mais vasta (dos 20 aos 50). “As pessoas já estão mais conscientes do fator ‘bem-estar’ e em levar uma vida mais consciente (seja com consciência da alimentação, do seu corpo, de cuidar do planeta) e, portanto o Yoga atrai esse tipo de pessoas conscientes.

Para uma próxima edição, João reforçou que um dos objetivos será o de trazer mais professores de Yoga do norte do país, embora o evento tenha contado com a presença de professores de vários distritos que não do Porto e Lisboa (entre os quais Coimbra, Viseu e Vila Real).Não está colocada de parte a possibilidade de convidar praticantes de yoga de países estrangeiros, nomeadamente de Espanha.

Artigo da autoria de Sara Sampaio e Tiago Costa.

Fotografias de Sara Sampaio.