Após uma semana de pausa, Pretty Little Liars está de volta a todo o vapor… ou nem por isso. O novo episódio trouxe um ritmo lento, poucas respostas, mais confusão, mais drama, mas, apesar disso, o regresso de uma cara conhecido. In the Eye Abides the Heart estreou no canal Freeform no dia 23 de maio.

Alison (Sasha Pieterse) decide fazer um teste de ADN e confirmar que Emily (Shay Mitchell) é, efetivamente, a mãe da sua criança. Como tal, coloca-se a questão: ambas parecem ter poder sobre o bebé mas nenhuma quer tomar a decisão. Para além disso, elas próprias nem sabem o que sentem uma pela outra…

Ao descobrir da situação, Paige (Lindsey Shaw) acredita que é seu dever afastar-se de Rosewood. Eu concordo, ela já deu o que tinha a dar há muito tempo. Com este problema resolvido, Alison decide que quer ter o bebé. Será demasiado cedo para lançar foguetes para a relação dela com Emily?

Hanna (Ashley Benson) dedica a sua semana a investigar o jogo de tabuleiro, bem como a ligação de Lucas (Brendan Robinson) a Charles (Vanessa Ray). Aparentemente, eles foram, de fato, amigos quando eram crianças, o que parece apontar Lucas como sendo A.D. Claro que, nesta série, as suspeitas mudam com o soprar do evento.

Para além disso, Hanna decide revelar o jogo a Mona (Janel Parrish), pedindo-lhe ajuda, visto que ela própria já teve experiências na manipulação de terceiros, como sabemos. Após se deliciar com o tabuleiro, Mona parece aceitar tomar o lugar de Hanna no jogo e ajudá-la a vencer de uma vez por todas.

Spencer (Troian Bellisario) apercebe-se de que o detetive Furey (Nicholas Gonzalez) está cada vez mais próximo de encontrar a resposta para o desaparecimento de Archer (Huw Collins), o que significa que eles já não podem ser amigos coloridos. O que é pena, eu até achava que eles tinham uma química engraçada.

O drama, contudo, surge quando Spencer começa a receber mensagens de Mary (Andrea Parker), a dizer que se quer encontrar com a filha para falar. A ocasião, no entanto, é interrompida pelo aparecimento de Furey, que já começou a ganhar o mau hábito de seguir as protagonistas para todo o lado.

Aria (Lucy Hale) junta-se temporariamente a A.D. – que decide fazer chamadas usando a própria cara e voz da protagonista – e revela alguns dos planos das suas amigas. Percebemos no final que tal decisão foi tomada porque A.D., pelos vistos, está em posse de um ficheiro que pode colocar Aria e Ezra em apuros. Como se a relação deles já não tivesse problemas suficientes.

Ezra (Ian Harding) decide voar pela milésima vez para Nova Iorque para cuidar de Nicole (Rebecca Breeds) e eis que, no aeroporto, dá de caras com Spencer e… Wren (Julian Morris)! Contudo, Spencer está estranha: roupa diferente, atitude stressada e pede até a Ezra que não fale sobre este encontro a ninguém.

Seria fisicamente impossível para Spencer deslocar-se entre dois locais tão distantes em tão pouco tempo e o regresso de Wren nem sequer foi devidamente explicado – foi, acima de tudo, suspeito. Embora Ezra tenha tomado a decisão certa e ficado com Aria em Rosewood, as suspeitas vão para a outra dupla.

Este episódio marcou a inauguração de Troian Bellisario enquanto diretora e devo dizer que ela fez um excelente trabalho com o pouco material que tinha. Contudo, o que mais me interessou foi a discordância relativa à sua personagem esta semana. Terá tal cena alimentado os rumores de que Spencer, na verdade, tem uma gémea? Resta esperar para ver.

NOTA: 6/10