Paul Ghirardani, diretor artístico da série Game of Thrones, esteve em Lisboa para o ciclo de conferências Distância Crítica, organizado pela Trienal de Arquitetura de Lisboa e admite que entre as influências para a criação dos cenários arquitetónicos da série também há uma referência portuguesa.

Os típicos azulejos nacionais estão representados num dos edifícios de Dorne, ambiente para o qual Ghirardani foi buscar inspiração a Portugal e Espanha, mas não foram as únicas referências para o processo criativo.

A construção do Iron Bank, por exemplo, foi inspirada na arquitetura majestosa da Grand Central Station, localizada em Nova York, e no famoso escritório de Hitler. Já The House of Black and White revela uma forte influência do Templo dos 10000 Budas, em Hong Kong, e de alguns templos da Índia ocidental.

Numa breve apresentação dos bastidores de Westeros, Ghirardani sobrevoou alguns dos mais célebres cenários da série da HBO. Meereen, Braavos e a monumental Citadel Library foram alguns deles.

Sou inútil sem um guião

O público presente teve a oportunidade de ouvir, pela voz do arquiteto de Westeros, como se desenrola o processo artístico. Primeiro é feita uma primeira leitura do guião, surge uma imagem mental do espaço, é desenvolvido o conceito-chave, com as respetivas influências, e inicia-se então a fase do desenho. A última etapa, antes da construção, é o desenvolvimento de um modelo 3D.

Paul Ghirardani

“Sou inútil sem um guião”, afirmou Ghirardani. As maquetas são uma ferramenta essencial, já que, segundo Ghirardani, os realizadores de Game of Thrones não partilham a rápida capacidade de apreensão do espaço através da mera visualização de planos. Assim, são produzidas várias maquetas ao longo de uma temporada, correspondentes a cada um dos espaços, de forma a facilitar a comunicação entre os dois departamentos.

A textura é um dos elementos fundamentais na construção do espaço. Os pequenos pormenores são, igualmente, importantes. “Estas paredes têm uma identidade própria”, refere. Para o diretor artístico o espectador deve ser capaz de identificar um local pela sua caraterização, tal como o faz na distinção das personagens.

O cenário de cada uma das cenas leva, em média, 12 semanas a ser construído. Paul Ghirardani revelou que o trabalho de criação dos próximos cenários começará a ser realizado brevemente, uma vez que as gravações do oitava temporada estão já agendadas para outubro deste ano.

A sétima temporada de Game of Thrones estreia a 16 de julho no Syfy.

 

* com Pedro Miguel Coelho