O Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT) abriu portas esta terça-feira à noite e não deixou ninguém indiferente às suas três novas exposições: uma casa ao estilo The Sims, um jardim iluminado por todo o tipo de candeeiros e uma orquestra de caldeiras. O Espalha-Factos esteve lá e conta-te tudo.

A ARCO Lisboa — Feira Internacional de Arte Contemporânea está de regresso, para a sua 2ª edição de 18 a 21 de maio, e o MAAT decidiu celebrar o evento com uma Open Night cheia de música, animação e a abertura de três novas exposições.

A festa teve início às 21h com comes e bebes e uma mesa de mistura com DJ’s a actuar pela noite dentro, no espaço exterior do museu. Já no interior, o ambiente era acolhedor e animado. Miúdos a graúdos, portugueses e estrangeiros, aproveitaram para conhecer o espaço visitando as exposições permanentes e todas as novidades.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Damos-te agora a conhecer as três novas exposições que fizeram as delícias de todos nesta Open Night.

Uma casa dentro do museu

Ana Pérez-Quiroga construiu-nos uma casa em tamanho real — com jardim, mesa de jantar, sofá, cama de casal, estante de livros e utensílios de cozinha — e desafia-nos a inscrevermos-nos para a irmos habitar durante 48 horas, enquanto os visitantes do MAAT observam os nossos hábitos e rotinas “numa experiência total de fusão entre arte e vida“.

A APQhome — MAAT vai estar no museu até 9 de outubro e consiste na continuação do projeto “Breviário do Quotidiano #8 — Os regimes acumulativos dos objectos e as suas determinantes” da artista.

Jogo de luzes no jardim

O artista cubano Carlos Garaicoa surpreendeu com um jardim encantando que serve de palco a um espectáculo de luzes, entre candeeiros de rua, semáforos e outros objectos de iluminação. As luzes vão-se acendendo e apagando enquanto os visitantes passeiam, sentam-se ou deitam-se a apreciar o projeto que “explora a relação entre cidade e homem, arquitectura e urbanismo“.

Yo nunca he sido surrealista hasta el día de hoy” é o nome da exposição que vais puder visitar até dia 18 de setembro.

Orquestra de Caldeiras

A Sala das Caldeiras e a história desse espaço “enquanto fonte de Luz essencial para a cidade de Lisboa” serviram de inspiração a João Onofre. Em “Untitled (orchestral)” o artista explora o impacto da luz solar nas caldeiras, criando uma actuação sonora em tempo real. A exposição prolonga-se até 18 de setembro.