Aqui está, meu povo: o grande final da sexta temporada de Once Upon a Time e da série como a conhecemos até agora. Este episódio duplo marca também a despedida da maioria do elenco principal da série, como foi noticiado há pouco tempo. The Final Battle estreou no canal ABC no dia 14 de maio.

Na Floresta Encantada, conhecemos uma jovem menina de nome Lucy (Alison Fernandez), cujo pai está em fuga de um terrível monstro. Antes que o pai possa conhecer um desfecho trágico, a menina recebe indicações para fugir e proteger, a todo o custo, o livro das histórias encantadas – o famoso “Era Uma Vez”.

Nos dias de hoje, a maldição de Fiona (Jaime Murray) cai sobre Storybrooke, retomando a cidade ao que ela era há dois anos atrás, ou seja, no início da série: um sítio sem magia, sem memórias, com Emma (Jennifer Morrison) presa num hospício e a própria Fiona enquanto chefe da cidade.Once Upon a Time

Henry (Jared S. Gilmore) é o único que mantém as suas memórias e faz sua missão repor as de Emma. Ao que parece, a dita Batalha Final não é uma guerra propriamente dita, mas sim uma guerra para salvar a alma de Emma. E porque é que isto é tão importante?

Todos os outros protagonistas foram transportados de volta para a Floresta Encantada e apercebem-se que, à medida que Emma perde a esperança e a crença, as suas terras começam a ser apagadas. Como tal, estamos oficialmente numa corrida contra o tempo antes que as personagens encantadas desapareçam de uma vez por todas.

Fiona apercebe-se de que Henry está “acordado” e faz com que ele caia das escadas abaixo, de modo a evitar mais confusão. No hospital, Emma continua a insistir que as histórias do filho são apenas fruto da sua imaginação e decide queimar o livro “Era Uma Vez”, partindo então para a sua antiga casa em Boston.Once Upon a Time

Na Floresta Encantada, os protagonistas abraçam-se e choram ao ver o seu mundo a desabar – incluindo a Rainha Má, a outra metade de Regina (Lana Parrilla) que, aparentemente, não foi muito bem recebida na outra realidade alternativa e decidiu viajar, juntamente com Robin (Sean Maguire), de volta para casa.

A Rainha Má faz um último gesto triunfal e tenta sacrificar-se, ao usar a sua magia para proteger os restantes, de modo a dar-lhes mais tempo para arranjar uma solução. A maneira perfeita de fechar a saga de Regina, mostrando que o seu final feliz não depende do amor, mas sim do bem-estar da família.

Em Boston, Emma depara-se com um livro que Henry lhe deixou com o relato das suas próprias aventuras: uma Salvadora que chegou misteriosamente a uma cidade abandonada e resgatou toda a gente. Embora ainda não acredite inteiramente nas histórias, ela decide que quer ser tal Salvadora e regressa a Storybrooke.Once Upon a Time

Enquanto isso, Rumple (Robert Carlyle), que ficou também em Storybrooke, revela que conseguiu manter as suas memórias e decide contra-atacar, de modo a proteger o filho, Gideon (Giles Matthey), e a encontrar a esposa desaparecida, Belle (Emilie de Ravin).

Como tal, Rumple usa a última varinha de fadas que restava na cidade e consegue eliminar Fiona de uma vez por todas, quebrando a sua maldição – o que restaura as memórias dos restantes e transporta toda a gente de volta para Storybrooke. Fiona foi derrotada sem grande esforço e devo admitir que, para uma vilã que foi aclamada “a pior de todas”, esperava que ela ripostasse mais um pouco.

No entanto, antes de morrer, Fiona revela que ainda estava em posse do coração de Gideon e a sua última instrução foi para que ele matasse Emma. Como tal, chegamos finalmente ao momento que nos foi prometido desde o início da temporada: a famosa luta de espadas no meio da rua, durante a noite.Once Upon a Time

Emma decide que não quer sucumbir à escuridão, sacrificando-se a meio da batalha e sendo morta por Gideon. Contudo, em paralelismo ao que aconteceu no final da primeira temporada, Henry consegue salvá-la com o beijo do verdadeiro amor.

Não estando mais ao abrigo das ordens da inimiga, Gideon regressa à sua forma original: bebé. Não percebi bem como é que esta transformação foi possível mas enfim. Nesta série, é melhor não questionar a própria magia ou teríamos muito pano para mangas.

Numa sequência final, assistimos à reconstrução de todos os mundos que conhecemos ao longo da série, incluindo Arendelle, Agrabah, Terra do Nunca, Oz, País das Maravilhas e, claro, a Floresta Encantada. Em Storybrooke, todos retomam os seus empregos habituais e começam a levar, finalmente, vidas normais.Once Upon a Time

Rumple e Belle têm oportunidade de criar uma família como sempre desejaram. Emma e Hook (Colin O’Donoghue) tornam-se nos novos xerifes da cidade. Snow (Ginnifer Goodwin) retoma a sua posição enquanto professora primária, enquanto David (Josh Dallas) fica feliz sendo um homem de família. Regina volta ao lugar de Presidente de Storybrooke.

Todos os protagonistas se reúnem à mesa para um jantar e, assim, fica concluído este capítulo do “Era Uma Vez”. Contudo, no último minuto, vemos a jovem Lucy a procurar um Henry já adulto (Andrew J. West) e a anunciar que é sua filha, dizendo que a sua família corre perigo e necessita urgentemente da sua ajuda.

Tudo neste episódio duplo foi perfeito. Os paralelismos à primeira temporada foram muito bem construídos e todas as personagens tiveram direito a um fecho digno, incluindo ambas as partes de Regina. Esta teria sido a altura perfeita para nos despedirmos da série e ela teria saído em grande. Contudo, os criadores fazem questão de estender o drama durante mais um ano. Resta-nos esperar para ver o que o futuro tem na manga.

NOTA: 9/10