Se achávamos que os últimos três episódios de Pretty Little Liars haviam adiantado pouco ou nada, o desta semana foi exatamente o contrário: mais do que um mistério teve direito a resposta e nem todas elas foram agradáveis. O novo episódio, intitulado Power Play, estreou no canal Freeform no dia 9 de maio.

Alison (Sasha Pieterse) confessa a Emily (Shay Mitchell) que decidiu ir avante com o aborto. No entanto, A.D. tem outros planos: aponta Alison como a próxima jogadora no tabuleiro e a sua indicação é ir, nada mais nada menos, a uma loja de roupa para bebé – só assim terá direito à sua peça do puzzle.

Enquanto isso, Spencer (Troian Bellisario) continua envolvida com o detetive Furrey (Nicholas Gonzalez), o qual admite que o dedo que recebeu empacotado no escritório equivale ao ADN de Archer (Huw Collins). Com o cerco cada vez mais apertado, as mentirosas não se dão ao luxo de escapar ao jogo.

Para além disso, Spencer lida também com o regresso do seu pai (Nolan North), que confessa que contratou uma investigadora privada para descobrir Mary (Andrea Parker). Contudo, Spencer decide tomar a situação pelas suas próprias mãos e acaba por ir parar a casa de Ted (Edward Kerr) – o quase-padrasto de Hanna (Ashley Benson).

O aparecimento de Ted é justificado de forma muito simples: ele confessa a Hanna que, nos seus anos de faculdade, conheceu uma jovem de nome Mary e acabou por criar um filho com ela. Sim, estão a pensar bem: Charles… ou Charlotte… ou CeCe. Este era um dos mistérios que havia ficado sem resposta e Ted parece ser uma justificação razoável, embora venha complicar ainda mais os laços que estas protagonistas partilham umas com as outras.

Enquanto isso, Aria (Lucy Hale) lida com o regresso de Nicole (Rebecca Breeds) mas Ezra (Ian Harding) decide chegar-se à frente e pedir desculpa por toda a sua negligência. Já não era sem tempo! Ele tem sido o pior noivo à face da terra.

Na escola secundária, Paige (Lindsay Shaw) admite que está a pensar aceitar um emprego noutra cidade. No entanto, admitindo que ainda tem sentimentos por Emily, decide permanecer em Rosewood e as duas acabam por partilhar um beijo. Nesta série, os romances vão e voltam numa questão de segundos.

Por falar em Emily, eis que surge a segunda surpresa da noite. Alison recebe uma notificação de A.D. e descobre aquilo que já todos suspeitávamos: os óvulos que Emily doou há uns tempos foram roubados, fertilizados e plantados dentro da própria Alison. Ou seja, o bebé pertence às duas. Que maneira previsível de as tornar num casal, não?

Aria também leva uma dose de drama esta semana. Ao receber uma mensagem anónima, acaba por se deparar novamente com Sydney (Chloe Bridges), a qual confessa que foi ela quem alvejou Spencer e tem estado a ajudar A.D. desde o início. Ela é provavelmente a personagem mais desinteressante da série e a sua única justificação para tudo isto é “porque é divertido”. Enfim, adiante.

Uma das grandes questões pendentes da série tem finalmente resolução esta semana. Peter decide a Spencer que Mary havia tentando visitá-la durante os seus anos de adolescência e, incapaz de ter contacto com a filha, foi assaltado por um ataque de raiva e matou a própria irmã, Jessica. Eu até gostava de Mary até agora mas isto é todo um outro nível de loucura.

No final, as mentirosas reúnem-se de novo à volta do tabuleiro e o jogo volta a apontar para Hanna como a próxima na lista. Aria parece ter-se escapado ao jogo e percebemos logo porquê: ela recebe uma mensagem de A.D. a convidá-la a juntar-se à equipa. Tendo em conta que a história de Aria desde sempre girou em torno do seu romance atribulado com Ezra, confesso que não me importava de a ver deslizar para o lado negro.

NOTA: 8/10