Um hacker conhecido como WauchulaGhost está em guerra aberta contra o grupo terrorista ISIS. Mas, em vez de balas, usa tweets e conteúdo pornográfico, afirmando já ter invadido mais de 250 contas no Twitter.

Tudo começou há cerca de ano e meio, com o atentado a uma discoteca gay, em Orlando, que foi reivindicado pela ISIS e provocou 49 vítimas mortais e 53 feridos.

WauchulaGhost, em conjunto com outros dois hackersEbony Yeti, sentiram que era o seu dever agir. Como resposta, invadem contas associadas ao grupo terrorista e enchem-nas com pornografia, bandeiras e mensagens LGTBI, com o objetivo de ofender a ISIS.

Numa entrevista para a CNN, o “fantasma”, alcunha de WauchulaGhost na internet, afirmou:

Começámos por tomar conta das contas deles (da ISIS) com pornografia e imagens de orgulho gay, basicamente só para gozar com eles. Pensámos que meter figuras nuas os ia ofender

conta de Twitter invadida por WauchulaGhost com mensagens LGBT

Muitas vezes, depois de tomar posse da conta, envia mensagens privadas para os seus seguidores e finge ter uma conversa normal, tudo para, minutos depois, estes descobrirem que é o “fantasma” que se encontra por detrás do perfil. A língua não é um problema: quando as conversações não são em inglês, o hacker afirma ter contactos por todo o mundo que o ajudam na tradução.

Para WauchulaGhost, o processo não é difícil: consegue invadir uma conta em menos de 60 segundos, devido às limitações técnicas de grupos terroristas como a ISIS, chegando mesmo a dizer que já viu crianças de 10 anos mais inteligentes.

conta de Twitter invadida por WauchulaGhost

Porém, esta missão pode ter consequências para o hacker: “Recebo imagens de decapitações… ameaças de morte”, continuou. “Isso é bom porque se estiverem focados em mim não estão a fazer mais nada.

As redes sociais são uma ferramenta poderosa: através delas, os grupos terroristas divulgam os seus valores ao mundo e atraem indivíduos para as suas campanhas. Hackers como o “fantasma”, consideram importante os utilizadores das redes sociais, como o TwitterFacebookInstagram, fazerem frente a estes grupos e terem uma maior participação.

WauchulaGhost já recebeu feedback de imensas pessoas que, apesar de nem sempre concordarem com o conteúdo pornográfico, apoiam a causa. Para o futuro, o hacker não planeia continuar com as imagens pornográficas mas, por outro lado, as mensagens LGBTI são algo que quer continuar a partilhar. Apesar de ilegal, o “fantasma” defende que “temos de agir pela mudança que queremos ver no mundo”.