Greve argumentistas
FX

Greve dos argumentistas: 5 séries que podem sofrer atrasos

Os argumentistas de Hollywood estão a preparar-se para uma paralisação. O sindicato Writers Guild of America votou por grande maioria o arranque de uma greve, que pode iniciar-se já a 2 de maio. Se a paralização se concretizar, a indústria enfrentará uma interrupção na produção que poderá resultar em atrasos no regresso das tuas séries favoritas.

A manifestação dos profissionais do setor é uma arma de arremesso contra os estúdios de cinema e televisão, com os quais o sindicato tem estado em negociações para renovação de condições contratuais. Em cima da mesa estão pedidos de aumento dos salários mínimos, melhores cuidados de saúde e a revisão das compensações pagas pelos serviços de streaming.

Se as reuniões com os estúdios falharem, e se a greve avançar, a paralisação não afetará todos os programas de forma idêntica. Listamos alguns títulos que poderão sofrer o impacto mais imediato.

The Walking Dead

A produção da oitava temporada da série inicia a 1 de maio, no mesmo dia em que o atual contrato do sindicato com os estúdios termina. A série do canal AMC tem estreia regular durante o mês de outubro, e o seu adiamento pode ser prejudicial, considerando que tem registado uma diminuição nas audiências nos E.U.A.  O spin-off Fear the Walking Dead regressa em junho ao pequeno ecrã e não deve ser afetado, se todos os guiões estiverem concluídos.

American Horror Story

A antologia de Ryan Murphy é outra série popular que regressa no início do outono. A sétima temporada, que será inspirada nas eleições norte-americanas de 2016, está atualmente a ser escrita. Os guiões da série tendem a ser aperfeiçoados até ao arranque das filmagens, portanto o novo ciclo pode ser adiado se os argumentistas saírem de cena. O impacto poderá fazer-se sentir também nos próximos capítulos de American Crime Story e na segunda minissérie de Feud, que estão igualmente a ser redigidos.

Saturday Night Live

Os late-night shows serão aqueles onde a ausência dos guionistas será mais notória e devem de imediato recorrer à transmissão de repetições. Sem ninguém para escrever as piadas sobre Trump, o presidente terá descanso da imitação de Alec Baldwin no SNL. Os três últimos episódios da temporada deverão ser emitidos nos três últimos sábados de maio e receber como convidados Chris Pine, Melissa McCarthy e Dwayne Johnson.

Jessica Jones

Embora a Netflix não integre o sindicato dos guionistas, é guiada pelas mesmas regras dos grandes estúdios. A série original Jessica Jones poderá ver a estreia adiada, dado o início das filmagens estar previsto para maio. A greve poderá também trazer implicações para a estreia da segunda temporada de Luke Cage, cuja produção arranca em junho.

Star Trek: Discovery

A antecipada série do universo de Star Trek já fora adiada do seu lançamento planeado para fevereiro, e depois foi alterada a anunciada estreia para maio. Agora, espera-se que a série comece no final do verão ou no início do outono. Se a greve se prolongar por vários meses, como aconteceu em 2007-2008, os planos da CBS poderão ter de ser repensados novamente.

Game of Thrones

Séries que não deverão sofrer atrasos

Podes respirar de alívio: a sétima temporada de Game of Thrones não deverá ser afetada. A série do canal HBO, que estreia em julho, já deve, nesta altura, ter terminado a produção ou estará numa fase avançada. Outros títulos que não deverão ser adiados são The Defenders, o regresso de Twin Peaks e Orange is the New Black, que regressa em junho.

Mais Artigos
Emmys 2020
Emmys 2020. Este ano a cerimónia acontecerá virtualmente