A LVMH, que inclui marcas como Louis Vuitton, Fendi, Givenchy e Céline, anunciou esta manhã que quer integrar toda a marca Dior no grupo de luxo. Detendo já a parte de beleza e perfumes da Dior, acrescentaria a alta-costura, ready-to-wear feminino e masculino e o calçado da marca francesa ao grupo. A notícia é avançada pelo site especializado Business of Fashion (BoF).

Bernard Arnault, chefe executivo da LVMH, fez uma oferta de cerca de 12 mil milhões de euros pelos 26% da Christian Dior que ainda não detém. Esta proposta permitiria uma fusão de toda a marca, concentrando os esforços que já existem entre e a LVMH e a Christian Dior Couture.

“As correspondentes transações permitiriam uma simplificação das estruturas, há muito pedido pelo mercado, e o fortalecimento das divisões de moda e bens de couro da LVMH, devido à aquisição da Christian Dior Couture, uma das marcas mais icónicas a nível mundial”, explicou Bernard Arnault em comunicado.

De acordo com o BoF, o grupo LVMH espera que o negócio fique fechado até ao final de maio, com um período de aceitação de cerca de três semanas. É também previsto que haja um aumento dos lucros por ação no período de um ano.

A evolução do grupo LVMH

Bernard Arnault assumiu o controlo das empresas da Dior e Louis Vuitton na década de 80. Mais tarde acrescentou marcas de joalharia, como a Bulgari, de moda, como a Fendi, ou de malas, como a Rimowa.

Em 1989 tornou-se o principal acionista da LVMH. Atualmente detém 47% do grupo, que conta com 70 marcas diferentes, divididas em 6 setores: vinhos e bebidas espirituosas, moda, perfumaria e cosmética, relógios e joalharia, produtos selecionados e outras atividades.