A Netflix lançou um vídeo com o primeiro minuto do episódio que vai estrear a quinta temporada de Orange is The New Black. A série decorrerá em tempo real ao longo de apenas três dias. A estreia está prevista para o dia 9 de junho de 2017.

Atenção: O conteúdo que se segue contém spoilers.

Vê aqui o teaser que a Netflix lançou:

A quinta temporada começa da mesma forma que a última terminou: em suspense. A vida na prisão nunca mais será a mesma. A morte prematura de Poussey, uma das personagens mais queridas pelos fãs, combinada com a raiva e a tristeza sentida pelas prisioneiras, resultou num caos absoluto. Litchfield viu assim o início de um perigoso motim.

Uma breve recapitulação de Orange is The New Black

Daya - Orange is The New Black

Créditos da Foto: Jared Harrell/Netflix

O primeiro episódio da quarta temporada de Orange is The New Black começou também no mesmo momento em que a terceira acabou: com as reclusas a aproveitar os poucos minutos de liberdade nas margens do lago vizinho a Litchfield. Para surpresa das mesmas, quando retornam ao seu casulo, novas prisioneiras tinham chegado e, com elas, sarilhos. As condições na prisão decrescem visivelmente.

Esta quarta temporada, superlotada, torna-se numa espécie de experimento social explosivo. Os estereótipos são usados e quebrados a uma velocidade tal que só pode resultar o caos. Há quem lhe chame a “guerra fria dos gangues”.

Piper Chapman (Taylor Schilling), a nossa protagonista, vê o negócio das “cuequinhas” em risco quando surge o conflito com Ruiz (Jessica Pimentel), a “chefe” das latinas. Soso (Kimiko Glenn) e Poussey (Samira Wiley) atravessam um romance quente e doce, e Nicky (Natasha Lyonne) regressa, para alegria de todos os fãs.

A grande novidade de Litchfield, no entanto, é Judy King (Blair Brown), inspirada na famosa Martha Stewart, que com o seu encanto ou manipulação revigora Yoga Jones (Constance Shulman) e Luschek (Matt Peters).

É também de lembrar o confronto de Dogget (Taryn Manning) com o seu violador, que a assombrava sem forma de escape possível.

O último episódio da quarta temporada terminou fazendo-nos gelar a ponta dos cabelos: Daya, em primeiro plano, determinada e na posse de uma arma, com a maioria das prisioneiras à sua volta e a incentivá-la a disparar. Fica assim determinado que, independentemente do desfecho da situação, a vida na prisão de Litchfield nunca mais será igual.

Que alterações na prisão e na vida das prisioneiras se avizinham? Resta-nos esperar pela estreia da quinta temporada, no dia 9 de junho, na Netflix.

Lê também: Quinta temporada de Orange is The New Black será passada em três dias

Um cheirinho laranja da temporada que se avizinha

A quinta temporada de Orange is The New Black recomeça nesse momento final da temporada anterior. É nesse ambiente de alta tensão que qualquer decisão tomada pode vir a afetar, para sempre, a vida de quem por Litchfield é influenciado.

Alex e Piper - Orange is The New Black

Créditos da Foto: Jared Harrell/Netflix

O motim que se levantou após a trágica morte de Poussey toma grandes proporções. As reclusas assumem o poder de Litchfield e o caos instala-se por toda prisão. À medida que as prisioneiras lutam pela redenção, resolução e pelo respeito que merecem, as suas vidas veem-se drasticamente alteradas.

Red e Frieda - Orange is The New Black

Créditos da Foto: Jared Harrell/Netflix

Esta temporada traz-nos algo de novo: vai decorrer em tempo real ao longo de três dias. Do ponto de vista técnico, irá influenciar a perceção do expectador, com toda uma nova experiência riquíssima em detalhes.

Suzanne e Maureen - Orange is The New Black

Créditos da Foto: Jared Harrell/Netflix

Orange is The New Black é uma série baseada nos livros de memórias de Piper Kerman e continua a focar questões sociais atuais e relevantes. A quinta temporada da série irá reforçar a razão da importância da sua abordagem. A forma como as reclusas são tratadas e como se relacionam entre si é uma realidade intrínseca na cultura e essência dos EUA.