Após seis temporadas e inúmeras tentativas falhadas, parece que a história da Rainha Má, em Once Upon a Time, chegou finalmente ao fim. Não da forma ideal, com algumas frustrações pelo meio, mas em congruência com o mote da série. O novo episódio, intitulado Page 23, estreou no canal ABC no dia 26 de março.

Na Floresta Encantada

Pelo milésima vez, regressamos à altura em que a Rainha (Lana Parrilla) continuava em busca de Snow White (Ginnifer Goodwin), indo novamente parar a uma aldeia onde acaba por ser enganada. Esta história já foi visitada tantas vezes na série que espero sinceramente que tenha sido última.

A Sininho (Rose McIver) está de volta, para relembrar a Rainha do seu possível encontro com o homem da tatuagem de leão no bar – a sua verdadeira hipótese de ser feliz. A vilã, contudo, faz orelhas moucas e decide seguir o seu pai (Tony Perez) quando este lhe diz que tem uma maneira de ajudar.Once Upon a Time

A dupla acaba por ir parar à fonte com a seta do cupido, cuja magia promete apontar para a pessoa que mais amamos. A Rainha, sentindo-se traída pelas intenções do próprio pai, decide inverter o feitiço e comandar a seta para a guiar para a pessoa que ela mais odeia – neste caso, Snow. Como ela própria diz, “há uma linha ténue entre amor e ódio”.

A seta acaba por ir parar ao seu próprio castelo, obrigando a Rainha a olhar-se no espelho, percebendo que a pessoa que ela mais odeia era, no fundo, ela própria. Não seria esta a altura perfeita para abrir os olhos e desistir de tanta vingança? Enfim.

Em Storybrooke

No presente, a Rainha Má está oficialmente à solta e recruta Robin (Sean Maguire) para a ajudar a encontrar a tesoura do destino – o seu plano é usar a magia da mesma para se separar de Regina de uma vez por todas e poder acabar com ela. Apertem os cintos, meu povo, estamos a caminho de uma luta a sério.

Regina percebe que Robin está em perigo e decide enfrentar a ameaça cara a cara. No seu escritório, as duas metades entram numa batalha de espadas, virando metade do espaço do avesso, partindo espelhos e outras coisas que tais. Tendo em conta que era apenas uma atriz a dar vida a duas personagens, devo admitir que foi uma cena altamente bem construída.

Regina consegue sair a ganhar e prender a Rainha, arrancando-lhe o coração. Aceitando o lado bom e o lado mau em ambas, decide dividir o seu amor com ela e absorver um pouco da escuridão da vilã. Posto isto, temos oficialmente duas pessoas iguais, cada uma com o melhor dos dois mundos – só que uma delas está vestida de forma bem mais extravagante.Once Upon a Time

Este seria o final mais previsível para esta saga mas, ainda assim, não deixa de ser bonito. Regina acabou por se aceitar como é – o lado bom e o lado mau -, conseguindo finalmente amar-se a si mesmo. Oxalá pudessem ter chegado a tal conclusão sem destruir o escritório inteiro, não é?

A Rainha admite que acabou por enviar Robin para a terra de onde ele veio – a tal realidade alternativa. Querendo ela próprio ter um novo começo, pede a Henry (Jared S. Gilmore) que use a sua pena de Autor para lhe conceder tal desejo. Como tal, ela própria dá por si de volta à taberna e desta vez decide efetivamente entrar, tendo finalmente o começo decente com Robin que deveria ter acontecido em primeiro lugar.

Estou satisfeito por ver esta lenga-lenga chegar ao fim mas esta conclusão é, no mínimo, frustrante. Robin era suposto ser o final feliz para Regina e acabar por ser para a Rainha? E Regina fica a acreditar que o seu final feliz consiste em família, amigos e amor próprio? É poético mas pouco satisfatório.Once Upon a Time

Tão depressa começou e já acabou…

Quantos aos restantes residentes de Storybrooke, Emma (Jennifer Morrison) descobre finalmente a verdade acerca do envolvimento de Hook (Colin O’Donoghue) na morte do pai de David (Josh Dallas). Não pelo ato em si mas por Hook lhe ter tentado ocultar a verdade, Emma decide cancelar o noivado. Um pouco extremo, não?

Completamente deprimido, Hook decide contactar o Capitão Nemo (Faran Tahir) e pedir-lhe para partir numa viagem a bordo do seu submarino. Contudo, ao saber do final da Rainha Má, percebe que qualquer um pode obter perdão e merece ser feliz. Como tal, decide dar meia volta e abortar o plano.

Mas esperem. Gideon (Giles Matthey) entra em cena e liga o motor do submarino, enviando Hook para fora de Storybrooke. Com a Rainha oficialmente fora do caminho, Gideon não chega nem sequer aos calcanhares de qualquer outro vilão da série. Posto isto, se ele é a única ameaça que podemos esperar durante as próximas semanas, a minha esperança para os próximos episódios é pouca… ou nenhuma.

NOTA: 6/10