Micaela Oliveira tomou a Alfândega do Porto de assalto ao chegar da noite do último dia no Portugal Fashion com uma linha dotada de uma simplicidade e extravagância na quantidade certa e em sublime harmonia.

Os materiais delicados contrastados com o corte berrante de cada peça foram mais do que suficientes para deixar todos os olhos num só lugar. As transparências, tons nude e silhuetas das criações resultaram numa coleção única.

As peças revelam detalhes de exagero, seja no comprimento ou nas mangas. Encontram-se também alguns negros e raros detalhes de cor. De uma forma geral a coleção pretende assentar bem na pele da mulher e celebra-la.

Os coordenados eram bastante sóbrios sem correr o risco de atingirem a saturação de quem vê. A qualidade dos materiais e apelo visual remonta um pouco às grandes casas de alta costura italianas e francesas.

A inspiração dos seus desenhos chegou da Colômbia e em particular das obras de Fernando Botero. As suas obras distinguem-se pela extravagância, sensualidade e volumes.

Broadgate Venus, Fernando Botero

O espólio único de Micaela Oliveira conta já com 20 anos de trabalho. A linha apresentada no Portugal Fashion revela ousadia, inovação e vanguardismo. Uma mulher que parece estar à frente do seu tempo e na pista dos maiores nomes internacionais da moda.

A avaliar pelo feedback, vai ser um outono/inverno com muito cheiro a norte.