Não é novidade que também nas passerelles se discute a atualidade. Estelita Mendonça apresentou, mais uma vez, uma coleção em que chama a atenção para o estado do mundo. Enquanto que a coleção passada nos remete para o problema com os refugiados, esta encapsula uma clara mensagem sobre as mais recentes ações políticas e polémicas do mundo, como o Brexit, a eleição de Donald Trump, a crise na Rússia e o impeachment no Brasil.

O primeiro manequim desfila com um lenço a tapar a boca em que se lê Vote Human. Os coordenados sucedem-se e surgem as expressões KO dignity e pay em t-shirts e lenços. A estes logótipos, criados em colaboração com o designer Eduardo Vascov, juntam-se-lhes bandeiras da Rússia, que remetem para a crise social e política que se vive no país.

As propostas para a estação fria do jovem designer português aproximam-se do street style e fazem-se, maioritariamente, de materiais reciclados. “As capas-cobertores são feitas a partir de desperdícios de algodão, geralmente utilizados durante mudanças e renovações de casa, e os sacos cama são reprocessados [a partir da junção de vários materiais]”.

… o mundo encantado das crianças

Ouvem-se crianças a brincar. Regressamos à infância para a coleção de Carlos Gil, que estampa desenhos de animais nas suas peças e joga com o mesmo padrão geométrico em diferentes escalas. Apesar disto, os conjuntos são elegantes e femininos, tendo a inspiração loungewear destaque.

Magic Tale é o nome da coleção que tem como peças chave calças de alfaiataria largas, vestidos casuais e macacões. Surgem apontamentos de pêlo, aliados a veludos, tules, tecidos brilhantes e caxemiras.

Por norma são os neutros e as cores mais sóbrias que ganham espaço nas coleções de outono/inverno dos criadores de moda. Mas não nas propostas deste designer. A paleta cromática abrange cores tão distintas como rosa pó, amarelo olho de gato, verde água, azul crepúsculo, laranja queimado e coral. O mundo das crianças é efetivamente mais alegre.

Fotografia: Nicole Gonçalves