A miscelânea têxtil da dupla Alves/Gonçalves

A irreverência sempre foi uma peça que a dupla Alves/Gonçalves soube vestir bem. Depois de Pedro Pedro e Alexandra Moura, este desfile marcou o primeiro dia da 40.ª edição de Portugal Fashion pela mistura de texturas, pelo pódio entregue aos plissados e as cores, que perderam os limites de combinação.

Manuel Alves e José Manuel Gonçalves são já veteranos nestas andanças e não precisam de indicações de como fazer a coisa bem-feita. A vertente mais urbana foi o elemento de destaque desta coleção outono-inverno 2017-18 que se diz “not trendy, but cool”.

Alves/Gonçalves

Os cortes são simples, mas os coordenados ganham vida com as sobreposições inesperadas, sejam elas de padrões ou de tecidos. Explorar o denim aplicando-o a peça mais clássicas, transformando os conjuntos e tornando-os mais ecléticos.

Também os plissados retornam às passerelles com novas formas, contudo sem nunca perderem a fluidez natural que o tecido já confere por si só.

A marcar a cintura muitas modelos traziam um cinto com padrão de fita zebrada de sinalização em preto e amarelo, um contraste forte tanto de cor como de tecido ao restante coordenado.

E como nem só de roupa se faz uma coleção, também o calçado usado com cada conjunto merece o destaque devido. De grandes saltos com plataforma com estampado florido ou de sinalética (como nos cintos) às sandálias rosa-choque, passando pelos chinelos-creeper com pelo – houve de tudo.

 

Fotografia: Bruno Fragata