Eurovisão: Ucrânia impede participação de cantora russa

A representante russa no Festival Eurovisão da Canção está impedida de participar no concurso. A Ucrânia proibiu a entrada da cantora Julia Samoylova no país, devido a uma atuação sua na Crimeia em 2015. O ato viola as leis do país anfitrião, segundo os serviços de segurança ucranianos.

Olena Gitlianska, porta-voz dos serviços de informação de Kiev, tornou pública no Facebook a decisão de banir a artista do território ucraniano. Assim, a cantora e compositora estará impedida de viajar para o país durante um período de três anos.

Em outubro do ano passado, os serviços de segurança da Ucrânia compilaram uma lista com 140 artistas russos que estão na “lista negra” e cuja entrada em território ucraniano é proibida. Embora Samoylova não constasse nesse conjunto inicial, a sua participação foi reavaliada, considerando a sua viagem à península da Crimeia.

Tensão política incendeia festival

A península foi anexada pela Rússia em 2014 e colocou Kiev e Moscovo num confronto constante. Desde o início do conflito que as deslocações diretas para a Crimeia, sem passagem pela fronteira da Ucrânia, estão proibidas, e os que violarem a regra podem ficar impedidos de entrar em território ucraniano durante vários anos.

Quando a controvérsia começou, no momento em que a porta-voz da segurança ucraniana afirmou que iriam estudar a participação russa na Eurovisão, a União Europeia de Radiodifusão (UER) permaneceu imparcial.

Jon Ola Sand, supervisor executivo da UER, disse numa conferência de imprensa que a organização “compreende e respeita as leis da Ucrânia” mas que não se opunha à participação russa. “A UER não tem quaisquer objeções à delegação russa e não vê violações da sua parte”, apaziguou. “Queremos que todos os países participem, mas a decisão é do governo ucraniano, e iremos respeitá-la.

Agora que parece efetiva a decisão de Kiev de bloquear a participação de Moscovo, a UER divulgou um novo comunicado, onde sublinham a desilusão face à ação.

Temos de respeitar as leis locais do país anfitrião”, lê-se na comunicação. “No entanto estamos profundamente desiludidos com esta decisão, pois acreditamos que é contrária ao espírito do Festival e à noção de inclusão que está no centro dos seus valores.

Continuaremos o diálogo com as autoridades ucranianas com o objetivo de garantir que todos os artistas possam atuar no 62.º Festival Eurovisão da Canção, em Kiev no mês de maio”, promete a organização.

A Rússia, representada com a canção Flame Is Burning, iria atuar na segunda semifinal da Eurovisão, a 11 de maio.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.