Clare Waight Keller será a sucessora de Riccardo Tisci na Givenchy. A nova diretora artística deverá ocupar o cargo a 2 de maio e realizar o primeiro desfile para a marca na Semana da Moda de Paris em outubro.

A notícia foi anunciada no Instagram da marca com uma fotografia da designer britânica tirada por Steven Meisel. Clare Waight Keller saiu da Chloé no início deste ano, onde foi diretora artística durante 6 anos. Ao ocupar o mesmo cargo na Givenchy, a designer torna-se na primeira mulher a assumir um cargo artístico na marca, seguindo nomes como John Galliano, Lee Alexander McQueen e Julien Macdonald.

A nova diretora artística da casa francesa ocupará a função de Riccardo Tisci, que deixou a Givenchy no mês passado, depois de estar 12 anos à frente da marca. Esta mudança deverá refletir-se no estilo da própria maison. Ao contrário de Tisci, mais arrojado e com influências góticas e de streetwear, Clare Waight Keller é conhecida por uma estética mais feminina e elegante.

Assim, de acordo com a WWD, é esperado um regresso às raízes da marca, à qual é associada uma elegância aristocrática e um estilo arquitectónico. “Estou muito entusiasmado por ver Clare trazer o seu senso de elegância e modernidade à Givenchy, explorando os 65 anos da herança da nossa maison”, afirma Philippe Fortunato, chefe-executivo da marca.

Quanto a Riccardo Tisci, é especulado que continue como diretor artístico mas na Versace, apesar de nenhuma informação ter sido ainda confirmada, quer pelo designer como pela marca.

2017. CLARE WAIGHT KELLER. NEW ARTISTIC DIRECTOR. SHOT BY STEVEN MEISEL.

A post shared by GIVENCHY (@givenchyofficial) on

O percurso de Clare Waight Keller

Depois de tirar o curso no Royal College of Art em Londres, a designer mudou-se para Nova Iorque, onde trabalhou durante quatro anos para a Calvin Klein. De seguida, juntou-se à Ralph Lauren, supervisionando a linha masculina, Purple Label. Em 2000 foi convidada por Tom Ford para trabalhar na Gucci, como designer sénior, ao lado de Christopher Bailey e Francisco Costa, onde se manteve até 2005, ano em que se tornou diretora criativa da Pringle of Scotland. Este cargo impressionou o CEO da Chloé, Geoffrey de la Bourdonnaye, que a contratou como diretora criativa da marca em 2011. Foi na Chloé que trabalhou até janeiro deste ano, antes de se mudar para a Givenchy.