A sexta temporada de Once Upon a Time continua e, esta semana, fomos prendados com uma larga história acerca do passado de David (Josh Dallas) – nomeadamente o assassinato do seu pai. E o culpado parece ter sido uma cara conhecida. O novo episódio, intitulado Murder Most Foul, estreou no canal ABC no dia 12 de março.

Na Floresta Encantada

Há muitos anos atrás, na terra encantada, conhecemos Robert (David Cubitt), o pai dos gémeos David e James. Quando Rumplestiltskin (Robert Carlyle) entra em cena e diz que o Rei George (Alan Dale) não consegue ter filhos, Robert decide vender um dos seus, sendo ele um bêbedo na miséria que não consegue cuidar das crianças.

Como sabemos, é James quem vai e David quem fica. Seis anos depois, o rei anuncia que o jovem James desapareceu e que quem possuir informações acerca do seu paradeiro será recompensado. Como tal, Robert parte numa demanda e acaba por ir parar à Ilha dos Prazeres – um local que aparece na versão animada de 1940 de Pinóquio.

Como seria de esperar, Robert dá de caras com o próprio Pinóquio e o boneco de madeira consegue conduzi-lo até James. Tendo uma mudança de coração, Robert decide ficar com o rapaz e cuidar do filho como devia ter feito em primeiro lugar.

O Rei George, contudo, tem outros planos, pois entra em cena e ordena que o rapaz lhe seja entregue. Para além disso, manda os seus guardas livrarem-se de Robert e “fazer com que a coisa pareça um acidente”. Aguardem um pouco, pois o pior desta história ainda está para vir.

Em Storybrooke

Nos dias de hoje, David começa a ter visões do fantasma do seu pai – algo que acontece sem razão aparente e sem explicação apresentada. Enfim. Como tal, ele recruta Hook (Colin O’Donoghue) para o ajudar a descobrir o que aconteceu ao seu pai. Tantos anos depois e só agora é que se lembra desta questão?

Com a ajuda de alguma magia, David descobre o envolvimento do Rei George no destino de Robert. Como tal, decide confrontar o próprio rei – que está atualmente numa prisão em Storybrooke. Antes que algum sangue seja derramado, Hook decide interromper a cena e explicar a David que a violência não resolve nada.

Estes dois não só têm uma dinâmica cativante como apresentaram uma troca interessante neste episódio. Hook sempre foi o pirata vingativo mas, esta semana, ele foi responsável por colocar os pés de David na terra e impedi-lo de cometer um erro.

Eles próprios se apercebem do conceito de família que têm construído aos poucos e, como tal, Hook decide arriscar a sua sorte e pedir a bênção de David para pedir Emma (Jennifer Morrison) em casamento. E sim, claro que ele aceita!

Enquanto isso, Regina (Lana Parrilla) tenta inserir o novo Robin (Sean Maguire) na cidade mas ele claramente não está habituado ao mundo moderno. Para além disso, quando eles finalmente se beijam, Regina admite que não sentiu nada e foi como beijar uma simples fotografia. Sem ofensa, claro.

Regina começa a questionar o porquê de Robin ter conseguido atravessar o portal para este mundo e parece ter razões para o fazer. No final, vemos que Robin assaltou o cofre da protagonista e roubou um dos seus baús. Não só destroem a oportunidade de Regina de ser feliz como vão transformar Robin num vilão? Auch.

A grande revelação do episódio, contudo, vem quando somos transportados de volta à Floresta Encantada e vemos que os guardas do rei pouparam a vida de Robert. Quem não a poupou, contudo? O próprio Hook, que entra em cena nos seus dias de pirata maléfico e decide assassinar Robert a sangue frio.

Claro que, na altura, Hook não sabia quem era o homem. A questão que se coloca agora é se tudo isto terá algum efeito no seu pedido de casamento a Emma. Posto isto, sou só eu que sinto falta de algum “mal maior” ou objetivo nesta temporada? Cada episódio parece ser apenas um evento solto, não criando um fio condutor para um possível final bombástico.

NOTA: 6/10