Filipe Faísca - Final

O caleidoscópio de Filipe Faísca: uma coleção a pensar no quotidiano da mulher

A longa fila à porta da sala de desfiles era um indício. O desfile de Filipe Faísca estava prestes a começar. O criador português apresentou as suas propostas para a próxima estação fria numa coleção intitulada “Caleidoscópio”. Faísca procura facilitar o quotidiano da mulher contemporânea com peças versáteis aos vários momentos do seu dia.

Arriscar foi a palavra-chave do desfile do final de tarde do segundo dia da ModaLisboa. O criador juntou vários estilos numa coleção adaptável a várias ocasiões. Desde peças mais desportivas às mais sofisticadas ou formais, passando pela lingerie, Faísca ilustrou a questão que colocou: “E se fosse possível passar do salto alto a bodyguard sem sair do lugar?”.

De facto, mostrou que é. E fê-lo com as misturas mais interessantes. Os plissados ao lado dos tons metálicos, assumiram o papel principal deste caleidoscópio. O rígido cabedal e a sofisticada seda ligaram-se em looks que bem defenderam o conceito de versatilidade do criador. O mesmo aconteceu com as delicadas rendas escondidas dentro de volumosos casacos de pêlo.

Os 50 tons de terra de Filipe Faísca

Cinzentos, castanhos e bejes. A maioria da paleta da coleção de Filipe Faísca foram os tons terra. Mas isso não significa monotonia. Pelo contrário, o criador mostrou que boas combinações fazem a diferença, ao juntar as cores terra com cores mais vivas, padrões animal ou outros mais geométricos.