IMG_3580
Foto: Márcio Menino

Entrevista a Luís Franco-Bastos: O humor nas vozes e o talento na pessoa

A tour de A Voz da Razão de Luís Franco-Bastos passou por Leiria e esgotou a sala do Teatro José Lúcio da Silva nas duas sessões ao público. O Espalha-Factos assistiu ao espetáculo e falou com o artista de 28 anos acerca do espetáculo, das novas experiências e dos próximos projectos. 

A estreia de A Voz da Razão aconteceu em fevereiro do ano passado e desde então tem percorrido o país. Luís Franco-Bastos já esgotou salas como o Coliseu de Lisboa e do Porto, momentos que aponta como dos melhores na sua carreira.

A maturidade e a experiência de Bastos

Depois do sucesso de Roubo de Identidade, este novo espetáculo tem provado a capacidade e talento a LFB. As principais diferenças entre os projectos assentam, segundo Bastos, num “artista mais maduro e mais completo, com mais horas de palco que, felizmente, se traduzem em maior competência”.

Neste espetáculo explora-se novas perspectivas que, nas palavras de LFB, são fruto da maturidade e da experiência que foi conquistando. Questionado sobre a temática que mais gosta de explorar, Bastos diz-nos: “Não tenho uma temática que goste mais. Gosto de todas as que possam fornecer bom material. Falo muito de futebol, por exemplo, mas não é por gostar menos de outras coisas. É porque, na nossa cultura, é um tema muito forte”.

“Não só tenho de inovar para me estimular a mim próprio mas também para manter o público estimulado e interessado”.

Foi em 2008 que Bastos venceu o concurso de rádio Cómicos de Garagem, da Antena 3, apresentado por Rui Unas, e a partir daqui bastou um pequeno passo para se tornar um fenómeno de popularidade. Desde então, LFB tem-se envolvido em diversos projectos humorísticos e em formatos distintos. Adequa-se ao palco de forma diferente de como se adequa à televisão ou à rádio.

“Acho que nunca é possível ser 100% igual, mas ainda assim penso que são [artistas] parecidos. Uma piada não é o mesmo que uma opinião ou que uma afirmação literal. Mas a pessoa que somos está reflectida no material que produzimos.

Questionado sobre vozes que não arrisca a imitar, Luís revela: “As que ainda não consigo fazer bem. Essas mantêm-se na gaveta até ficarem afinadas”.

A arte do stand-up nas vozes de Bastos

O humor nacional está hoje mais consistente devido a artistas como Luís Franco-Bastos. O stand-up comedy subiu ao palco do Teatro José Lúcio da Silva, encheu a plateia e o coração do artista. Hoje, LFB não é visto apenas como um imitador de vozes, mas como um humorista, e esse sempre foi o seu objectivo. O humor não é indiferente aos portugueses, e está a crescer como merece, como arte real.

“[O humor nacional está] em constante crescimento. Fruto do trabalho diário de muita gente talentosa”

Questionado sobre os próximos projectos, responde-nos: “Stand-up será sempre o meu projecto principal. Quando esta tour terminar, lançarei o DVD desta e começarei a preparar outra. Para além disso, um projecto independente na Internet está na calha”.

Para além dos projectos na rádio e nos palcos, LFB é uma figura activa das redes sociais e isso confere-lhe mais reconhecimento. Partilha no Instagram momentos da sua vida pessoal e profissional com os seus quase cem mil seguidores, e o seu cão é uma presença constante nas publicações de Bastos e, por isso, questionámos sobre um eventual espetáculo especial com Balotelli, ao que nos respondeu: “Tendo em conta que eu não consigo que ele vá sequer buscar uma bola, não me parece que consiga que ele faça stand-up. Mas como se diz no futebol, o futuro ninguém sabe”. Fica a esperança.