Em celebração do Dia Mundial da Mulher, a Changing Wave, associação destinada a mobilizar os jovens através das artes performativas, em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa, irá realizar hoje o evento One Billion Rising na Estação Ferroviária do Rossio, às 19h. Inspirado pela associação One Billion Rising, o evento pede às pessoas que se levantem, saiam, dancem e exijam um fim para a violência que vitimiza mil milhões de mulheres em todo o mundo.

Vivemos numa altura em que as polémicas em torno da mulher não podiam ser mais discutidas e, por essa mesma razão, associações como a One Billion Rising são ainda necessárias, e de que maneira.

Para quem não conhece a associação, a One Billion Rising é um dos maiores movimentos no combate à violência contra as mulheres. O nome da associação deve-se ao facto de que, de acordo com as estatísticas, uma em cada três mulheres será vítima de violência ao longo da sua vida, perfazendo mil milhões de mulheres no mundo inteiro (one billion).

A cada ano, desde a sua criação em 2012, a associação cria uma campanha focada num tema em específico dentro da questão da violência contra mulheres. Para o ano de 2017, a luta escolhida foi contra a exploração das mulheres, em todos os aspetos que elas podem ser e são exploradas em todo o mundo.

Contra a violência

Todos os anos, no dia 14 de fevereiro (o seu aniversário), a associação reúne multidões numa manifestação original: uma performance de dança com o nome Break the Chain. É desta forma que os ativistas da One Billion Rising se manifestam contra os crimes de violência que todos os anos fazem tantas mulheres vítimas.

Ao longo dos seus 5 anos de existência, a coreografia de Break the Chain, música escrita e produzida por Tena Clark, foi sendo adaptada e interpretada por ativistas em todo o mundo, sendo incorporada em diversas culturas e constantemente reinventada.

“insists we take up space, and though it has no set direction, we go there together. Dance is dangerous, joyous, sexual, holy, disruptive, and contagious and it breaks the rules. It can happen anywhere, at anytime, with anyone and everyone, and it’s free. Dance joins us and pushes us to go further and that is why it’s at the center of ONE BILLION RISING”, revela Eve Ensler, a conhecida dramaturga autora de The Vaginal Monologues, no site da associação que a mesma fundou.

Apesar de não ser dia 14 de fevereiro, a Changing Wave inspirou-se no extraordinário exemplo que esta associação representa e criou o evento One Billion Rising Lisboa para celebrar o Dia Mundial da Mulher.

O evento tomará os moldes da One Billion Rising e pede aos seus participantes que dancem numa manifestação que pede o fim da violência contra as mulheres.

O evento, que decorrerá na Estação Ferroviária do Rossio às 19h e contará também com a participação de diversos artistas como Kika Cardoso, Darko e artistas do The Voice Portugal.

Os participantes serão, tal como dizem as palavras de Ensler sobre os ativistas da associação, “disrupters, fighting and dancing with all our might for life over comfort”.