Rafael Aranda, Carme Pigemand e Ramon Vilalta foram os grandes vencedores do Prémio Pritzker 2017.  Os três arquitetos espanhóis, fundadores do estúdio RCR Arquitectes, são os vencedores da 39ª edição do prémio que é conhecido internacionalmente como a maior honra da arquitetura

O anúncio foi feito por Tom Pritzker, Presidente da Fundanção Hyatt, em Chicago. O júri  justificou a decisão por se tratar de uma arquitetura que “demonstra um forte compromisso com o lugar e a sua história”, e que “cria espaços em permanente diálogo com o seu contexto”.

É a primeira vez que o Prémio Pritzker  é entregue a três arquitetos em simultâneo. Foi criado em 1979 e é atribuído anualmente ao arquiteto que melhor cumpra os princípios enunciados por Vitrúvio: solidez, beleza e funcionalidade.

É uma grande alegria e uma grande responsabilidade”, confessou Carme Pigem sobre o prémio. “Estamos encantados por, este ano, três profissionais que trabalham de forma muito próxima em tudo o que fazem, sejam reconhecidos”.

A entrega do Prtizker está agendada para 20 de maio, no palácio Akasaka, em Tóquio.

Fotografia: Pritzker Prize

Prémio Pritzker: mais sobre os vencedores da edição 2017

Rafael Aranda, Carme PigemandRamon Vilalta têm trabalhado juntos desde a fundação da RCR Arquitectes, em 1988. “O trabalho deles demonstra um grande compromisso com o lugar e a sua narrativa, para criar espaços que estão em diálogo com os respetivos contextos“, lê-se no comunicado publicado pela Fundanção Hyatt.

Os trabalhos dos vencedores do Prémio Prtizker  abrange “espaços públicos e privados, edifícios culturais e educacionais, e a sua grande capacidade para se relacionarem intimamente com o ambiente específico de cada lugar é a prova do seu processo e da sua profunda integridade”, completa o comunicado do júri.

O júri destaca ainda o uso de materiais modernos, como o aço e plástico reciclados nos projetos dos arquitetos catalães. “Eles demonstraram que a unidade de um material pode dar a um edifício uma força e uma simplicidade incrível”, disse Glenn Murcutt, jurado do prémio Pritzker.

Fundaram em 2013 a Fundação RCR Bunka para apoiar a arquitetura, paisagem, artes e cultura. São consultores do parque natural da zona vulcânica de La Garrotxa desde 1989.

O trabalho dos arquitetos

Rafael Aranda, Carme Pigem e Ramon Vilalta completaram os seus estudos na Escola Técnica Superior de Arqutetura de Vallès. Um ano mais tarde, fundaram o seu estúdio na cidade de Olot.

Entre as inúmeras obras que justificaram a distinção para o prémio  estão a pista de atletismo Tussols-Basil , em Olot (2000), o El Petit Comte Kindergarten, em Besalú (2010), o restaurante Les Cols , novamente em Olot (2011) e o Espaço Público Teatro La Lira, em Ripoll (2011). O Centro de Arte La Cuisine,  (2014) e o Museu Soulages, em colaboração com G. Trégouët,  em França (2014) são outros dos projetos distinguidos pelo júri.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.