A RTP apresentou nesta quinta-feira os planos para o Festival da Canção 2017. A estação pública reuniu a organização, os compositores e os intérpretes que irão competir pelo lugar no Festival Eurovisão da Canção. O local escolhido para o evento foi o Coliseu dos Recreios, que será o palco da final do certame em março.

Fiquei com um peso na consciência, com a ideia de que as coisas tinham corrido tão mal, e de que eu tinha sido definitivamente o coveiro do Festival da Canção”, brincou Júlio Isidro. O presidente do júri começou por lembrar a apresentação da edição do concurso em 2015 e defendeu que, este ano, o festival consistirá no “melhor do que foi feito ao longo dos anos.

Enfatizou que o foco do certame é a produção musical: “Para mim este festival continua a ser o Festival da Canção”, afirmou. E não um festival de variedades como aquilo que costumamos ver na Eurovisão.

A grande final do certame europeu acontecerá a 13 de maio, e coincidirá com a data em que o Papa Francisco visita Portugal. O “senhor televisão” recordou a ocasião e terminou com um pedido: Peçam ao nosso Francisco […] que faça uma oração e pode ser que não sejamos os últimos classificados.

Festival da Canção

Os cantores e compositores irão competir nas semifinais a 19 e 26 de fevereiro. [Fotografia: RTP]

Eurovision, here we come

Este ano, pela primeira vez, caiu a norma que obrigava as composições a serem escritas em português. No entanto, das 16 músicas em competição, apenas três serão cantadas em inglês. Pedro Gonçalves abraçou a nova regra e dará voz a Don’t Walk Away, escrita por João Pedro Coimbra. À RTP, o finalista da terceira edição do The Voice Portugal afirmou:

O que interessa é que as pessoas se identifiquem com o tema e consigam sentir tudo o que queremos transmitir. Penso, no entanto, que na Eurovisão temos mais hipóteses de chegar mais longe com a língua inglesa. Apesar de defender que em Portugal se canta em português, na Europa temos de nos fazer ouvir. O inglês é a melhor escolha para isso.

Lisa Garden falou com o Espalha-Factos sobre a primeira música cantada em inglês no festival. A composição própria, Without You, será a única na primeira semifinal. Considerou importante cantar em inglês porque acredita conseguir apelar a um público mais universal. Sobre a hipótese da língua inglesa ser uma mais-valia na Eurovisão continuou: “Também pensamos nisso. Escrevi uma coisa e quero que o máximo de pessoas compreenda.

Lê também: Revelada data da participação portuguesa na Eurovisão

No início da semana o tema da Eurovisão foi anunciado: Celebrate Diversity. Diverso é igualmente o conjunto de compositores e intérpretes do Festival da Canção. Samuel Úria, Rita Redshoes, Luísa Sobral e Noiserv serão alguns dos músicos que terão assinatura nas letras originais. E entre as vozes estarão nomes da velha guarda como Lena d’Água, MárciaCelina da Piedade. Os novos rostos incluem, entre outros, Golden Slumbers, Inês Sousa e Fernando Daniel.

O júri

Isidro convidou para os lugares de jurados alguns nomes incontornáveis da história do Festival da Canção: Tozé Brito, Ramon Galarza, Dora e Gabriela Schaaf. A eles juntar-se-ão o humorista Nuno MarklInês Lopes Gonçalves, Inês Meneses e o especialista musical João Carlos Callixto.

As votações decorrerão sob um esquema de 50/50: o peso do voto será dividido entre o público em casa e o júri. Em questões de empate, as regras são claras: nas semifinais passa o tema escolhido pelo júri, mas na final a canção que tiver sido mais votada pelo público será a vencedora.

Daniel Deusdado, Gonçalo Madail, Júlio Isidro e Nuno Galopim anunciaram os planos para o festival. [Foto: RTP]

RTP sopra as velas no Coliseu

No ano em que a televisão pública celebra seis décadas, Daniel Deusdado antecipou que a final do Festival da Canção será “o ponto alto das comemorações.”. O grande evento, que ocupará o Coliseu de Lisboa a 5 de março, será a conjugação de uma “janela renovada” de demonstração do melhor da música portuguesa e da festa de aniversário da RTP.

O diretor de programação mencionou que a final terá presença de grandes figuras da história da estação e da televisão pública. Frisou ainda o empenho do primeiro canal na produção do espetáculo: “Tudo aquilo que a RTP sabe, e pode fazer, será feito neste festival.

As duas semifinais do certame, agendadas para os domingos de 19 e 26 de fevereiro, serão gravadas no estúdios da estação e terão exibição em horário nobre. Sónia Araújo e José Carlos Malato serão os apresentadores do primeiro programa e a apresentação da segunda semifinal será entregue a Tânia Ribas de Oliveira e Jorge Gabriel. Catarina Furtado e Sílvia Alberto serão as anfitriãs da grande final.