Ele é multiresistente, mas anda sempre a cair ou perdido no meio das almofadas do sofá. O controlo remoto é um velho amigo, mas tem demasiados defeitos. No futuro, vamos poder dizer-lhe adeus. A Netflix está a trabalhar no Midflix, que permitirá o controlo da plataforma através da mente.

Ainda que possa suscitar dúvidas quanto a uma origem mítica, este sistema assenta numa tecnologia inovadora. O comando é substituído por um gadget denominado Muse, constituído por uma banda sensível às ondas cerebrais. É através dela que o utilizador poderá comandar todas as ações do serviço de streaming.

O espectador poderá, assim, navegar pela plataforma, movimentado a cabeça na direção em que se encontra o filme ou série que pretende visualizar. Depois de selecionado o conteúdo, será então a vez de “pensar em vê-lo“. É nesta fase que a banda entra em ação, interpretando as ondas cerebrais e, consequentemente, monitorizando as ações ordenadas.

Ainda mais simples…

A tarefa de visualização de conteúdos nesta plataforma é já bastante acessível, mas estas mudanças vão ainda ser mais amigas do espectador sedentário. Se és fã de maratonas sabes que basta esperar 10 segundos, no final de cada episódio, para que o seguinte inicie automaticamente. Agora, vai ser ainda mais fácil e rápido.

Estas alterações podem ainda ser encaradas como uma solução para utilizadores que tenham dificuldades motoras.

Algumas das propostas anunciadas nesta edição do Hack Day estão disponíveis no blog oficial da Netflix. Todos os anos esta iniciativa promove o desenvolvimento de tecnologias e aplicações que melhorem os serviços e facilitem o acesso aos utilizadores.

Quanto ao Muse, infelizmente não foram dadas garantias relativamente à implementação ou circulação do produto no mercado. Por enquanto não nos vamos despedir do velho e fugidio comando.