A SIC estreou este sábado o filme Kingsman: Serviços Secretos, com algumas das cenas censuradas. Estes cortes geraram uma onda de indignação por parte dos espectadores na página do canal. 

Kingsman: Serviços Secretos foi a estreia exibida pela SIC neste sábado, dia 28 de janeiro, e teve início pouco depois das 17h30. O que os espectadores não esperavam era que o terceiro canal censurasse várias partes do filme, nomeadamente alguns momentos-chave.

Dos quatro minutos originais da cena do homicídio em massa na igreja, foram exibidos pela SIC cerca de 20 segundos. A cena final, que exibiria momentos íntimos entre o protagonista e outra personagem, foi cortada de uma forma abrupta para o início dos créditos finais. E a cena que deveria aparecer no final dos créditos, uma luta num bar que conclui um dos enredos secundários, simplesmente não foi exibida. Estes são três exemplos dos vários momentos cortados, segundo o site C7nema.

Como seria de esperar, tal desfeita causou indignação no público, que se manifestou na página do Facebook da SIC.

Comentários no Facebook da SIC

Entre os vários comentários, leram-se queixas relativas aos tempos de publicidade durante os dois intervalos e sugestões de que o filme fosse antes exibido à noite com a “bolinha vermelha” no canto superior direito. A SIC não prestou qualquer declaração em sua defesa.

Kingsman: Serviços Secretos

Realizado por Matthew Vaughn, Kingsman: The Secret Service é um filme de espionagem que conta com Taron Egerton e Colin Firth como protagonistas. Uma boa dose de ação e comédia, engenhos futurísticos e agentes incrivelmente bem treinados.

Conta-nos a história de um espião de longa data, Harry Hart (Firth), que recruta um rapaz rebelde e humilde, Gary (Egerton), por ver nele um futuro promissor. Após passar pelo treino ultracompetitivo de uma organização secreta de espionagem – Kingsman -, Gary segue com o seu mentor e uma pequena equipa para enfrentar uma ameaça global: o génio louco da tecnologia, Richmond Valentine (Samuel L. Jackson).

O Espalha-Factos contactou a SIC para obter esclarecimentos e, até ao momento, a estação não comentou a decisão.