O novo episódio de The Vampire Diaries chama-se Nostalgia’s a Bitch e o título não poderia ser mais apropriado para o seu conteúdo. Numa surpresa alucinante, os fãs foram prendados com o regresso de várias caras conhecidas da série, naquele que foi certamente um dos melhores episódios desta temporada. Estreou no canal The CW no dia 27 de janeiro.

Bonnie (Kat Graham) e Caroline (Candice King) apercebem-se de que Damon (Ian Salvatore) está num estado catatónico após a sua humanidade ter sido trazida ao de cima por inteiro. Sybil (Nathalie Kelley) dispõe-se a resolver a situação, com a condição de que lhe concedam o dito sino-mágico-todo-poderoso em troca.

Antes de arrancar com esta história, mais vale tratar já da parte menos interessante do episódio. Seline (Kristen Gutoskie) explica que, quando o sino for tocado doze vezes, abrirá um portal entre o nosso mundo e o Inferno, soltando uma onda de energia que matará toda a gente num certo raio de distância – neste caso, Mystic Falls inteira.

Stefan (Paul Wesley) decide que gosta imenso do sino e gostará ainda mais de destruir toda a cidade. Como tal, ele compele Matt (Zach Roerig) e dá-lhe uma escolha: ou este perdoa Damon por todas as brigas que alguma vez tiveram ou será obrigado a tocar o sino e matar toda a gente. Pobre Matt, continua humano e vítima das confusões dos outros.

De volta à mansão dos Salvatore, Sybil usa então os seus poderes psíquicos para transportar Caroline e Bonnie para dentro do subconsciente de Damon, de modo a que estas possam travar o seu sofrimento e resgatá-lo. Apertem os cintos, pois é aqui que a viagem fica interessante.

Pelos vistos, o subconsciente de Damon começa na primeira temporada, onde somos prendados com o regresso de Vicki (Kayla Ewell) – mais bonita e destemida do que nunca! Aparentemente, nesta realidade alternativa, Damon não existe, portanto Vicki parece não ser grande ajuda por enquanto.

No mesmo cenário, Caroline dá de caras com mais uma cara conhecida: a sua própria mãe, Liz (Marguerite MacIntyre)! O que poderia ser uma cena bonita de despedida torna-se num pesadelo, quando Liz percebe que a sua filha é vampira e a prende numa cave de tortura, semelhante à da terceira temporada.

Caroline insiste na salvação de Damon e diz que ele foi o único que compreendeu perfeitamente a sua dor quando ela perdeu a mãe. Este é o pretexto perfeito para Caroline perceber que já perdoou o protagonista e o seu trabalho dentro da sua mente está feito. A esperança está agora nas mãos de Bonnie.

Ela decide procurar alguém conhecido e acaba por encontrar a sua avó, Grams (Jasmine Guy)! A senhora parece não ter envelhecido um único dia! Bonnie é conduzida até à campa dos Salvatore, onde acaba por encontrar Tyler (Michael Trevino). Já vamos num total de quatro regressos num só episódio e o meu coração mal aguentou!

Tyler explica que, no seu subconsciente, Damon viveu e morreu enquanto humano. Como tal, a esperança está em Stefan, pois ele foi o único que conheceu o irmão como tal. Stefan salta para o subconsciente de Damon e os pedidos de desculpas invertem-se: é ele que tem de perdoar o irmão e não o contrário.

Damon diz que perdoa Stefan por este o ter obrigado a transformar em vampiro e o ter condenado a uma eternidade de morte e destruição. Stefan não aceita bem estas críticas, mas é o suficiente para Damon concluir a sua viagem de redenção, acordar de uma vez por todas e impedir Matt de tocar o sino. Assunto resolvido!

Posto isto, a viagem não se fica por aqui. Damon e Bonnie decidem ter um momento a sós, no qual ele lhe lê finalmente a carta que escreveu há anos – aquela que ela na altura se recusou a ler por estar tão zangada com o amigo. Damon elogia Bonnie enquanto mulher e diz que ela é a sua melhor amiga. Ela chora, eu choro, toda a gente chora.

No final, Seline e Sybil decidem ter uma reunião entre irmãs para tentar resolver as coisas mas a situação dura pouco tempo. Aparentemente, Matt chegou a dar onze badaladas no sino, tendo aberto um portal temporário para Cade (Wolé Parks). Este diz que quer comandar os seus assuntos de agora em diante, incendiando subitamente as duas vilãs, enquanto elas gritam em agonia e o episódio fica encerrado.

Tudo neste episódio foi perfeito e a prova de que Vampire Diaries ainda consegue voltar às suas raízes. Termos o regresso de quatro caras conhecidas num só episódio foi a forma perfeita de preparar a estrada para a despedida final. O momento entre Bonnie e Damon era aguardado já há dois anos e, de todo, não desiludiu.

Com a morte abrupta e chocante de Seline e Sybil, o inimigo agora é o Diabo em em pessoa. Sinceramente, eu já me estava a cansar das duas mas não esperava que elas morressem de forma tão inesperada. Com apenas seis episódios até ao grande final, este episódio elevou a fasquia a uma altura magnífica.

NOTA: 9/10