Cinco décadas, cinquenta campeonatos e uma lista ainda maior de nomes que se apresentaram durante o intervalo daquele que é o evento televisivo com maior audiência nos Estados Unidos da América. Este ano marca o 50.º aniversário do Super Bowl I, jogado em janeiro de 1967, e Lady Gaga será a artista responsável pelo espetáculo.

A uma semana do grande evento, olhamos para trás e recordamos alguns dos espetáculos mais memoráveis do intervalo do campeonato de futebol da NFL. A ordem é aleatória e destacamos os momentos mais marcantes, os cantores com maior carisma e as melhores produções.

Prince, 2007

A inesquecível atuação lembra-nos como o cantor habitualmente conseguia tornar os percalços em vantagens. É uma das melhores atuações de sempre no Super Bowl.

Melhor momento: fustigado por uma tempestade de vento e chuva, Prince cantou Purple Rain.

Beyoncé, 2013

Melhor momento: Beyoncé.
Segundo melhor momento: Destiny’s Child cantaram Single Ladies.

Madonna, 2012

Sob o tema do politeísmo, Madonna, imperatriz do pop, reinou no palco do Lucas Oil Stadium com um medley dos seus maiores êxitos.

Melhor momento: a entrada. O cuidado dos arranjos musicais é sempre notório nos seus espetáculos ao vivo, e o Super Bowl XLVI não foi exceção. A produção e a coreografia são as mais impressionantes na história do evento.
Pior momento: LMFAO.

A realeza do pop e do rock, 2001

O concerto produzido pela MTV juntou no mesmo espaço Aerosmith, *N’SYNC, Britney Spears, Mary J. Blige e Nelly.

Melhor momento: a reunião em palco do casal real do pop do início do milénio: Britney Spears e Justin Timberlake.

Janet Jackson, 2004

Três anos depois, a MTV voltou a organizar o espetáculo. No palco estiveram Janet Jackson, Justin Timberlake, P. Diddy, Kid Rock e Nelly. Mas no dia seguinte ao jogo, quem fez as manchetes foi Jackson.

Melhor momento: o erro de guarda-roupa totalmente planeado.

Katy Perry, 2015

Podemos sempre confiar nas cantoras pop para montarem as melhores produções visuais. Depois de Madonna, Katy Perry conseguiu cativar com a sua atuação em 2015. A voz de Teenage Dream recebeu pontos por ter cantado ao vivo – algo que a rainha do pop não ousou fazer – e por conseguir mudar de visual quatro vezes em doze minutos.

Melhores momentos: o tubarão dançarino. Mary J. Blige. Perry a voar numa estrela cadente.
Curiosidade: a edição foi a mais vista da história do Super Bowl. No mercado doméstico, o intervalo teve uma audiência recorde de 118,5 milhões de pessoas, de acordo com o Guinness World Records.

Coldplay Beyoncé, 2016

No ano passado, Coldplay pisaram o palco do Levi’s Stadium num espetáculo que serviu de homenagem à história do campeonato norte-americano de futebol. No contexto do Super Bowl 50, a banda britânica convidou os artistas que atuaram nos intervalos em 2013 e 2014: Beyoncé e Bruno Mars, que veio acompanhado de Mark Ronson.

Melhor momento: os Coldplay serem ofuscados pelos convidados. Mas em sua defesa, é difícil não ser ofuscado por Beyoncé.

Michael Jackson, 1993

No início dos anos 90, a organização decidiu apresentar grandes nomes da música pop, na expectativa de captar maior audiência. Com a decisão de colocar Michael Jackson como cabeça de cartaz, conseguiram-no. Foi o espetáculo que revolucionou o intervalo do Super Bowl e introduziu o formato grandioso que conhecemos hoje.

Melhor momento: a entrada e o tempo durante o qual Jackson ficou estático a receber os aplausos.

Diana Ross, 1996

É provavelmente o medley com a melhor seleção musical de sempre. Apesar do vento, a diva da disco mostrou-se carismática enquanto cantou sucessos como Stop In The Name Of Love, You Keep Me Hangin’ On e I Will Survive.

Melhor momento: a saída no helicóptero.