A quinta temporada de Nashville continua a todo o vapor e cada vez estou mais convencido de que a mudança da série para a CMT foi a melhor coisa que podia ter acontecido. O novo episódio, intitulado Leap of Faith, estreou no dia 19 de janeiro, trazendo consigo fins de relações e inícios de grandes negócios.

Comecemos por Juliette (Hayden Panettiere). Cada vez mais decidida em recuperar o uso das suas pernas, a protagonista faz de tudo para ter uma melhoria rápida. Ela esquece-se, contudo, de agradecer à pessoa que mais a ajuda: Avery (Jonathan Jackson), chegando até a afastar e gritar com o marido. Ainda o podemos chamar de marido? Ex-marido? Amigos coloridos? É uma das grandes questões desta temporada.

Para além disso, Juliette recusa-se a tomar os seus comprimidos para as dores, tendo em conta o seu historial com drogas. Uma decisão inteligente, confesso. Em alternativa, Juliette encontra conforto na fé, começando a ir à igreja mais vezes e rezando regularmente. Uma decisão não tão inteligente, na minha opinião.

Enquanto isso, Will (Chris Carmack) e Kevin (Kyle Dean Massey) estão oficialmente à procura de casa juntos. Contudo, por alguma razão, Will não parece entusiasmado com a ideia… tendo em conta que foi ele que a sugeriu em primeiro lugar. O protagonista chega até a rasgar uma proposta para um apartamento que Kevin encontrou.

Rayna (Connie Britton), por seu turno, parece estar finalmente a endireitar a sua vida. Zach (Cameron Scoggins), o seu grande fã que conhecemos no início da temporada, está disposto a fazer negócio com ela, prestando apoio financeiro à Highway 65 e pedindo apenas 20% dos lucros em troca. Muito generoso… demasiado, até.

Para além disso, está tudo a postos para que Scarlett (Clare Bowen) e Gunnar (Sam Palladio) comecem a filmar o seu primeiro vídeo, que certamente ajudará também no ressuscitar da Highway 65. Isto são cenas para os próximos episódios mas, a julgar pelo trailer da próxima semana, a situação parece não correr às mil maravilhas.

O admirador secreto de Rayna dá novamente o ar da sua graça e, desta vez, deixa-lhe um envelope com uma carta e pétalas de rosa. A situação, naturalmente, não cai bem aos olhos de Deacon (Charles Esten), mas o foco nesta semana está no negócio e Rayna decide efetivamente assinar o contrato com Zach. Seja o que Deus quiser!

Kevin eventualmente descobre a hesitação de Will e ele confessa que já não sente o mesmo pelo namorado. Isto foi a alteração mais patética na série. Estes dois nunca tiveram sequer hipótese de ter uma relação estável e Will está novamente a saltar fora do barco antes que saia sequer do porto. Enfim, mais uma relação para o lixo.

Juliette e Avery decidem continuar a apoiar-se um ao outro mas o último, contudo, diz ainda não estar pronto para entrar no campo romântico, visto que ainda não sarou todas as feridas que Juliette lhe causou na temporada passada.

À medida que Will fecha o episódio ao som de I’ll Quit Missing You, sou deixado com os pedaços das duas relações que eu mais queria que funcionassem na série, mas que teimam em não se endireitar. Já tivemos quatro temporadas de drama; não temos agora direito a alguma paz e tranquilidade?

NOTA: 7/10