The Vampire Diaries está de volta e finalmente na sua reta final, com apenas oito episódios até ao fecho oficial da série. We Have History Together estreou no canal The CW no dia 13 de janeiro e veio apenas relembrar os fãs que estamos a entrar num caminho já gasto, com uma despedida bastante pior do que aquela que realmente merecemos.

We Have History Together” foi a frase dita por Elena (Nina Dobrev) no seu encontro com Stefan, no primeiro episódio da série, referindo-se a uma disciplina da escola.

Claro que mais tarde viemos a descobrir que tal era também um trocadilho, visto que Stefan já tinha tido realmente alguma história com a protagonista… quer dizer, com Katherine. Enfim, vamos lá ao que interessa.

Stefan (Paul Wesley) e Damon (Ian Somerhalder) continuam na sua matança, reunindo vítimas para o Diabo em pessoa. A dupla decide que a próxima vítima será Tara (Alexandra Chando), uma médica que parece não ter um pingo de maldade no sangue. Para se infiltrarem no hospital, Stefan administra verbena em Damon, para que este fique em estado convalescente e receba cuidados médicos.The Vampire Diaries

Stefan eventualmente descobre que os pais de Tara foram mortos por um condutor bêbedo e consegue convencê-la a acreditar que Damon foi o responsável pelo acidente. Tara eventualmente cede ao seu ódio e à sua dor, aplicando um produto no sangue de Damon de modo a matá-lo. Não sabe ela da missa a metade.

Enquanto isso, Caroline (Candice King) fica encarregue de fazer uma reportagem na sua antiga escola secundária, onde descobre que Sybil (Nathalie Kelley) usou os seus poderes psíquicos para conseguir um emprego enquanto professora de história americana. Com poderes como esses, ela decide virar professora? Certamente há mil e uma outras coisas que ela poderia fazer, mas quem sou eu para questionar?

Caroline descobre que Sybil está em busca de um pequeno sino misterioso, o qual aparentemente está no fundo do rio que passa pela cidade de Mystic Falls. Sybil usa os seus poderes para obrigar os estudantes a amarrarem-se a postes, prontos para pegar fogo uns aos outros, como forma de chantagem para que Caroline vá em busca do sino. Mais uma vez Sybil prova que não está aqui para brincadeiras.The Vampire Diaries

Do outro lado da cidade, Matt (Zach Roerig) tem um novo reencontro com o seu pai e estes parecem não conseguir resolver os dramas familiares. Eventualmente, Matt descobre que a sua família fundou originalmente Mystic Falls e construiu o dito sino, embora as outras famílias fundadoras lhe tenham roubado então a luz da ribalta. O pai de Matt, ao descobrir do sucedido, apoderou-se do sino e atirou-o para o rio.

No hospital, após Tara ter oficialmente cometido um crime, Stefan e Damon aproveitam a oportunidade para a mandar para o Inferno. O primeiro toma até a ocasião para trazer novamente o nome de Elena à superfície, dizendo que Damon não se consegue desligar dela. Tal parece ser verdade quando vemos que Damon se agarra com unha e dentes ao colar da namorada adormecida, mantendo parte do seu lado humano.The Vampire Diaries

Eventualmente, Caroline descobre que o sino já havia sido retirado do rio e colocado em sua casa. Quando ela e Sybil se dirigem para lá, descobrem que Seline (Kristen Gutoskie) se antecipou e lhes roubou o objeto. Sybil decide descarregar a sua frustração em Caroline, questionando a relação desta com Stefan e relembrando-lhe de que já não é a primeira nem a segunda vez que ele se torna num assassino impiedoso.

Uma hora inteira dedicada a uma médica que não merecia o destino que teve e a um sino qualquer cuja utilidade ainda nos é desconhecida. Vampire Diaries continua a usar histórias já trabalhadas, indo até à exaustão. Já estamos fartos de ver Stefan desumano. Já todos sabemos que Damon ainda se importa com Elena. Já percebemos que os protagonistas merecem todos uma visita ao Inferno.

Com apenas oito episódios em falta, bater na mesma tecla uma e outra vez está a ser a pior ideia que os criadores alguma vez tiveram. À semelhança da temporada anterior, esta começou muito bem e depressa perdeu o seu brilho inovador. No meio de tudo isto, eu continuo a perguntar o que é feito de Bonnie (Kat Graham). O maior desperdício de uma personagem que realmente ainda tem muito para contar.

NOTA: 4/10