Lion – A Longa Estrada Para Casa pode não ter sido o filme do ano, mas é, sem qualquer dúvida, uma das mais emocionantes e marcantes obras do cinema de 2016. O humanismo e a crítica político-social é o que fazem deste filme de Garth Davis algo maior.

Uma criança indiana (Saroo) de cinco anos perde-se nas imensas e caóticas ruas de Calcutá, a milhares de quilómetros de casa. Saroo sobrevive a muitos desafios antes de ser adotado por um casal na Austrália. 25 anos depois, parte em busca da sua família perdida.

Esta é quase a obra de estreia do inexperiente Garth Davis. O realizador tem-se ocupado nos últimos 10 anos com séries de televisão e poucos outros projetos que o conectem ao cinema, mas esta grande “primeira” longa-metragem de Davis afirma-o como um dos mais promissores nomes a entrar na lista dos novos talentos de Hollywood. Davis pegou num tema e história francamente difíceis de tratar, sem cair nos inevitáveis clichés e lugares comuns, e entregou um filme seguro, eficaz e, acima de tudo, extremamente humano.

E não é por acaso que o primeiro capítulo do filme seja aquele que mais surpreende e que nos assombra enquanto espectadores. A câmara e a lente de Davis seguem religiosamente o pequeno Saroo (Sunny Pawar) e ela parece, tantas vezes, quase subjetiva, ao acompanhar o estado emocional da personagem e ao transmutar o espaço que a rodeia. Davis consegue filmar a confusão de Saroo dentro do comboio, o medo na noite passada na estação de comboios de Calcutá, o frenesim ao abandonar a casa da mulher que o acolheu naquela cidade…

Este primeiro ato é, de veras, onde o filme realmente brilha. Onde o espectador – o tal sentado nas cadeiras de um cinema, o tal que é submergido pela tal bolha de privilégio do mundo ocidental que o Saroo crescido (Dev Patel) fala mais à frente – é apanhado desprevenido e encara a história (real) que é tão difícil de ver, a história que é partilhada por milhares e milhares de crianças na Índia.

Sunny Pawar, o ator indiano que interpreta o Saroo de 5 anos, é talvez a maior surpresa de todo este filme em termos de performances. Este pequeno ator consegue aguentar toda a narrativa e todo um filme nas suas costas e sem qualquer experiência anterior a este filme de Davis.  É de facto um feito que já não víamos na  grande tela há algum tempo, diria talvez desde a perfeita redenção de Quvenzhané Wallis em Beasts of the Southern Wild.

Já o segundo acto – passado na Tasmânia – é onde o filme se apaga um pouco e é por isso que algumas das performances de atores já estabelecidos na indústria nos passa tanto ao lado: como Rooney Mara ou David Wenham. Neste segundo capítulo na história de Saroo, apenas há a referir a entrega de Nicole Kidman e Dev Patel como fulcrais para que a narrativa não se perdesse em momentos que, aqui, poderiam roçar mais o cliché e o sentimental gratuito.

Aliás, foram estes dois atores que contribuíram também para o grande sucesso de Lion nas grandes premiações da temporada de prémios do ano. Já que o elenco de atores indianos (Sunny Pawar, Abhishek Bharate e Priyanka Bose) não está a ser muito referenciado, pelo menos que KidmanPatel façam as honras de catapultar esta história para o reconhecimento dentro da indústria cinematográfica de Hollywood.

A nível técnico, Lion – a Longa Estrada Para Casa destaca-se principalmente pela sua fantástica fotografia, assinada pelo veterano Greig Fraser. Este cinematógrafo tem já outros grandes filmes no seu portfólio (Foxcatcher, Rogue One e Zero Dark Thrity) e entrega neste filme uma das mais belas imagens do cinema feito no ano passado. Há um grande número de imagens belíssimas que nos esmagam pela sua imensidão, como também um  jogo de cor que nos constrói uma narrativa emocional ao longo de toda a película.

Em suma, Lion – a Longa Estrada Para Casa é um filme que se debruça com um dos temas mais problemáticos da sociedade indiana das últimas décadas. Revela-nos o quão incrivelmente desfasados e alheados estamos de realidades intensamente cruéis e, com isto, faz-nos questionar certos aspectos da nossa rotineira vida que tomamos como garantidos. Talvez o maior feito de Garth Davis é o de rebentar a bolha de privilégio em que todos nós vivemos. Aplaudo-o por isso.

7/10

Ficha técnica
Título: Lion
Realizador: Garth Davis
Argumento: Saroo Brierley baseado no livro de Luke Davies
Elenco: Sunny Pawar, Abhishek Bharate, Priyanka Bose, Dev Patel, Nicole Kidman, Rooney Mara, David Wenham.
Género: Drama
Duração: 118 minutos