Rebenta a Bolha saltou da rádio para os palcos. Um espetáculo onde César Mourão arranca gargalhadas do início ao fim.

O Rebenta a Bolha já é um fenómeno multiplataforma: uma rubrica das Manhãs da Comercial, um jogo de tabuleiro da Majora, uma aplicação para telemóvel e agora também um espetáculo. Para os ouvintes da Rádio Comercial é fácil perceber a génese do espetáculo – um exercício de improviso do início ao fim.

 

Três jogos, convidados especiais e uma plateia com vontade de se divertir são os ingredientes deste espetáculo, que termina a angariar 1500 euros para a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).

Jogo das Profissões

Bombeiro, comissário de bordo e forcado. Três profissões escolhidas pelo público. O jogo é simples: cada vez que uma buzina toca, César Mourão muda de personagem, mantendo, ou tentando manter, o sentido da conversa. Para levar esta missão a bom porto o humorista conta com a ajuda de quatro convidados especiais – os locutores das Manhãs da Comercial Luísa Barbosa, Vasco Palmeirim, Pedro Ribeiro e Nuno Markl.

Jogo das Letras

Desta vez só há uma personagem. Por vontade do público, chama-se Tânia, tem 70 anos, vários filhos, vive na Ramada e é gaga. César Mourão dá corpo e voz a esta senhora entrevistada por Daniel Oliveira. No sketch participa também um membro da plateia responsável por dizer a letra pela qual deve começar a palavra seguinte.

Música Improvisada

Para fechar em grande, a proposta mais ambiciosa – uma música improvisada baseada na história do Rui e da Amélia, um casal que entrou no Campo Pequeno como espectador e agora sai como coprotagonista da noite. Para dar uma “mãozinha”, César Mourão conta com um convidado de peso. Miguel Araújo subiu ao palco para ajudar a compor letra e música em cinco minutos.