Ministério do Tempo, a nova aposta da RTP1 para o prime time das segundas-feiras estreia hoje, 2 de janeiro, e a estação pública divulgou o making-of da produção que promete revisitar momentos chave da História de Portugal.

Para além de entrevistas com o elenco, o vídeo mostra cenas inéditas da série e permite espreitar o processo de produção da série da Just Up. O making-of abre a porta dos bastidores e podemos ver as equipas de design 3D a trabalhar na construção dos cenários digitais e o departamento de cenografia a montar os sets das filmagens.

O elenco

Mariana Monteiro é Amélia Carvalho, uma mulher do século XIX que possui um espírito muito à frente do seu tempo. Amélia é o cérebro do trio de protagonistas, que inclui Tiago Silva, interpretado por Sisley Dias, e o nobre Afonso Mendes de Noronha, que é representado por João Craveiro.

Monteiro, que desempenha o papel da primeira mulher estudante na Universidade de Coimbra, afirma que a sua personagem “tem sede de conhecimento” e que, por essa razão, “o Ministério foi uma opção fácil.

Lê mais: RTP1 abre a porta para o passado com ‘Ministério do Tempo’

Sisley Dias fala sobre as motivações da sua personagem. Tiago é um técnico do INEM que enviuvou cedo demais: “Era um enfermeiro que não estava muito bem com a vida então isto [o Ministério] vai-lhe dar alguma motivação.” “Com a morte da minha mulher, não estava a passar uma fase muito boa. Então era aqui ou o manicómio”, refere.

António Capelo atua como Salvador Martins, o secretário-geral do Ministério do Tempo. A sua missão, explica, é guiar a equipa nas suas tarefas e, ao mesmo tempo, gerir os egos dos agentes da patrulha. Como comandante do Ministério, o seu objetivo principal, diz o ator, é “conseguir levar este barco a bom porto.

O elenco integrou mais de 250 atores e, entre os principais, destacam-se igualmente Carla Andrino, Luís Vicente e Andreia Dinis. Filomena Cautela interpreta Mafalda Torres, que, segundo a apresentadora, é “uma espécie de espia dos tempos modernos, mas com uma missão muito nobre.” “O meu objetivo é que as pessoas nunca saibam muito bem de que lado é que ela está”, provoca.

A equipa

Sobre o projeto, o diretor de atores Durval Lucena refere que é “uma mudança de paradigma” e que se distancia daqueles que são os conteúdos atualmente presentes na programação da televisão generalista. “Acho que vai mudar muita coisa”, acrescenta.

O cuidado com os figurinos é sempre essencial em qualquer ficção de época. Marta Iria, responsável pelo guarda-roupa da série, mostra-se feliz: “[O facto de] envolver todas as épocas é maravilhoso.” “É raro conseguirmos fazer isto”, indica.