O canal público apostou nas comédias do consagrado realizador francês Jacques Tati para a época de Natal e Ano Novo. Entre os dias 22 e 30 de dezembro, a RTP Memória irá emitir cinco longas-metragens de Tati. Com exceção de Há Festa na Aldeia, em todas elas o próprio Jacques Tati interpreta a sua mais conhecida personagem: o desconcertante Sr. Hulot, sempre de gabardine, cachimbo e chapéu.

O Meu Tio (1958), dia 22 às 15h

O Meu Tio (Mon Oncle) conta-nos a história da família Arpel, que vive numa casa onde tudo é novo e sofisticado, situada numa moderna e impessoal zona residencial. No meio de tanta modernidade, ostentação e rigidez vive o pequeno Gérard Arpel (Alain Bécourt), triste e aborrecido. É então que irrompe o seu tio materno, o Sr. Hulot (Jacques Tati). Gérard passa a visitar o tio, um desempregado que vive despreocupadamente nas águas-furtadas de uma velha casa num pitoresco e ruidoso bairro, e ambos criam uma relação de amizade que inquieta os Arpel.

Vencedor do Óscar para Melhor Filme em Língua Estrangeira e do Prémio Especial do Júri no Festival de Cannes, O Meu Tio é o mais premiado dos filmes de Tati e é uma sátira mordaz à sociedade de consumo.

Playtime – Vida Moderna (1967), dia 23 às 15h

Em Playtime voltamos a acompanhar as aventuras do Sr. Hulot, que desta vez tem de entrar em contacto com um oficial americano em Paris mas acaba por se perder na confusão da arquitetura moderna repleta de dispositivos tecnológicos. Apanhado numa invasão de turistas, Hulot deambula por Paris com um grupo de turistas americanos, causando o caos por onde passa.

Com uma cidade cinematográfica megalómana e um orçamento bastante elevado, Playtime foi o mais ousado dos filmes de Tati. Apesar de aclamado pela crítica, o filme foi um fracasso comercial e levou o realizador francês à bancarrota.

Sim, Sr. Hulot (1971), dia 24 às 0h30

A sociedade automobilística francesa Altra quer fazer-se vingar no salão Automóvel de Amesterdão com um protótipo engenhoso de caravana desenhado pelo Sr. Hulot. Este irá acompanhar, juntamente com Maria, a jovem e mimada relações públicas da empresa, o camião onde o protótipo seguirá até Amesterdão. Nesta viagem irão surgir uma série de peripécias que atrasarão a chegada e mudarão a postura de Maria para com os que a rodeiam.

Há Festa na Aldeia (1949), dia 29 às 15h

Numa pequena aldeia do centro de França é dia de festa: os feirantes chegam à praça e instala-se um cinema ambulante. É ocasião para os aldeões descobrirem um documentário sobre as proezas dos correios na América. Ridicularizado por toda a aldeia, o carteiro François (Jacques Tati) decide aprender a executar o seu trabalho à maneira americana, o que só vai dar confusão. Há Festa na Aldeia (Jour de Fête) foi a primeira longa-metragem de Tati, onde o realizador impôs logo um estilo inovador e uma linguagem fílmica muito pessoal.

As Férias do Sr. Hulot (1971), dia 30 às 15h

O ciclo da RTP Memória termina com o filme onde surge pela primeira vez o Sr. Hulot, que vai passar férias a um hotel junto à praia e instala a desordem por onde passa, para gáudio das crianças e incómodo dos restantes veraneantes.