O Flash, o famoso plugin da Adobe que ajudou a tornar a web mais interativa e insegura, recebeu mais uma machadada. 

Seguindo das pisadas da Google e da Mozilla, a Microsoft vai passar a bloquear o plugin no seu browser, o Microsoft Edge, na próxima versão da aplicação. O anúncio foi feito no blog oficial da plataforma.

Tal como já acontece com outros navegadores, o plugin vai passar a ser bloqueado por omissão e o utilizador terá que dar autorização para ser executado em cada website que o requisite. A permissão pode ser dada apenas uma vez ou permanentemente.

Inicialmente, alguns sites mais populares com conteúdos em Flash vão poder recorrer ao plugin sem intervenção do utilizador; nos restantes, terá que haver intervenção manual. Falta no entanto saber quais os endereços nesta “lista branca”.

Com mais um browser a dar preferência ao HTML5, não deverá demorar muito tempo até o Flash desaparecer.