A terceira edição da Comic Con Portugal arrancou com imensa diversão e inúmeras atividades. Desta vez, o espaço da Exponor, foi ocupado durante quatro emocionantes dias, recebendo milhares de visitantes, uns fantasiados, outros não, mas todos unidos na paixão pela cultura pop que dá vida ao evento. O Espalha-Factos esteve presente nos quatro dias e relata-te, em primeira mão, tudo o que aconteceu ao longo de todo o evento.

AS CARAS DO AUDITÓRIO A

Dos três auditórios existentes no recinto inteiro, nenhum foi mais bem frequentado como o Auditorio A. As maiores estrelas do Comic Con Portugal tiveram direito a apresentar-se ao público, em sessões de Q&A nas quais respondiam às perguntas dos seus maiores fãs. Rila Fukushima, atriz de The Wolverine, da série Arrow e que entrará no filme Ghost in the Shell esteve aberta a todo o tipo de perguntas acerca das suas personagens, mostrando a sua boa disposição e simpatia perante o público.

Cobie Smulders irradiava simpatia por onde quer que passasse. A atriz protagonizou inclusive um momento insólito ao convidar um fã para a sua beira no seu segundo painel, onde esteve até ao fim junto com Joe Reitman. No meio de algumas perguntas sobre o seu envolvimento nos filmes da Marvel, especificamente nos filmes dos The Avengers, Cobie foi bombardeada com perguntas sobre a popular série How I met Your Mother.

Uma das questões foi relativa ao final da série, algo que continua a dividir os fãs ainda hoje. Cobie, por sua vez, descreveu o final como sendo “mágico”, ignorando as críticas. “Têm de compreender que quando se começa uma série e se junta um grupo de pessoas para se filmar um episódio, especificamente o episódio ‘piloto’ da série, tu nunca achas que irás mais longe do que isso. E na primeira temporada ficamos para mais 13 episódios e esperamos, chamaram-nos para mais nove episódios e esperamos. Nessa primeira temporada filmamos cenas com os filhos do Ted porque eles envelheceriam. E filmamos cenas com eles que, nove anos mais tarde, foram usadas para completar a série. E isso é uma raridade neste negócio e nesta indústria. O Carter e o Craig foram os nossos criadores e eles foram capazes de ver através desta história que eles inventaram de repente. E, para mim, ser parte de algo no qual trabalhamos tanto e poder ver tudo até à sua conclusão foi muito excitante.”

David Bradley podia ter infelizmente falhado a sua presença no evento, mas a dupla Jason Isaacs e Katie Leung foram à mesma um dos pontos mais altos de todo o evento. Os painéis Remember Harry Potter, que ocorreram nos dois últimos dias do evento foram bastante animadores. Com o humor contagiante de Jason e a “fofura” de Katie, a boa disposição era garantida mesmo antes de as perguntas surgirem. Foram imensos os fãs dos livros e filmes que competiam para poder conversar aquele bocadinho com os atores que interpretavam os memoráveis Lucius Malfoy e Cho Chang.

A jovem e simpática Ivana Baquero fez a sua única presença no dia 9, mas nem por isso menos interessante. A atriz, que interpretou a pequena Ofélia em O Labirinto do Fauno e interpreta Eretria na série da MTV The Shannara Chronicles, deu um ar da sua graça perante uma vasta plateia de fãs, falando da sua carreira, das suas personagens e deixando que a sua empatia tornasse toda a sessão bastante bem-disposta e com vontade que continuasse por horas a fio.

Lennie James, uma das estrelas da famosa série da AMC The Walking Dead, interpretando Morgan. Invocando uma maneira de ser que em muito é oposta à sua personagem, Lennie, sempre sorridente, respondeu a uma miríade de perguntas que abordavam não só a sua personagem, mas também um pouco dos seus papéis anteriores, aliando uma ou outra piada às suas respostas e transmitindo um grande à vontade pela plateia.

Vindos de terras nipónicas, Junishi Masuda e Shigeru Ohmori, criadores da franquia Pokémon, vieram a Portugal para falar sobre a série de videojogos que completa 20 anos neste momento. Com o lançamento dos novos jogos Pokémon Sun e Pokémon Moon, muitas das perguntas dos jogadores mais fieis recaíam para este novo capítulo da franquia, abordando temas como a história, as novas mecânicas de jogo e perguntando sobre o que o futuro reserva.

Kevin Sussman, ator regular da série de comédia The Big Bang Theory visitou a Exponor durante os últimos dois dias, mostrando sempre uma boa disposição e um sentido de humor tão genuíno que parecia que tinha trazido toda a essência cómica da série consigo. Durante os seus painéis, imensas foram as perguntas sobre The Big Bang Theory, embora devido ao seu vasto currículo como ator, as questões sobre os seus trabalhos anteriores foram praticamente inevitáveis.

Embora a sua presença tivesse quase passado despercebida em relação aos restantes convidados de peso, Zack Galligan, ator do clássico de 1984 Gremlins, também soube dar-se a conhecer perante a plateia de fãs que o receberam calorosamente e o questionaram acerca do filme que o tornou famoso e dos seus projetos, entretanto.

Os dois criadores do documentário Building Star TrekEliott Halpern Elizabeth Trojian, estiveram presentes não só para promover o seu trabalho, mas também para falar um pouco do processo que esteve por detrás da produção. Falou-se um pouco de como a série foi evoluindo até aos filmes atuais e como a série influenciou a vida real.

Mas também os artistas portugueses tiveram o seu lugar no grande auditório do Comic Con este ano. Apresentando no sábado o Refrigerantes e Canções de Amor, Nuno Markl, Raquel Jacob, João Fonseca, Helder Faria, Filipe Raposo, Luís Galvão Teles e Saúl Rafael falaram das escolhas criativas por detrás da produção, tendo o próprio Nuno Markl admitido que se inspirou um pouco na sua experiência pessoal com relacionamentos para criar o conceito.

Por sua vez, os comediantes João Paulo Rodrigues e Pedro Alves estiveram presentes no domingo para falar da sua mais nova produção, Curral de Moinas, o filme que estreará nas salas de cinema em 2017 e contará uma nova aventura dos hilariantes Quim Roscas e Zeca Estacionâncio na fictícia aldeia que durante muito tempo foi palco das mais insólitas notícias que ambos apresentavam no Telerural.

A esposa de Luc Besson esteve em exclusivo no último dia do evento a apresentar o próximo projeto do seu marido Valerian e a Cidade dos Mil Planetas. Baseado numa BD criada em 1967 por Pierre Christin e Jean-Claude Mézières, trata-se da história de dois agentes (interpretados por Dane DeHaan e Cara Delevigne) que são enviados numa missão à cidade intergaláctica de Alpha tentando travar forças ocultas que ameaçam o equilíbrio da humanidade. Trata-se da realização de um sonho de longa-data de Luc, que leu a BD com 10 anos de idade. Na sessão foram apresentadas artes conceptuais nunca antes vistas e outras informações acerca das personagens e história do filme.

UM AMBIENTE MUITO GEEK

Quando pensávamos que era impossível haver mais visitantes que a edição anterior, eis que a presença de fãs no evento deste ano supera as nossas expectativas. Apesar do reduzido número nos dois primeiros dias (compreensível, tendo em conta tratarem-se de dias da semana), o sábado arrancou com uma fila interminável muito antes da abertura das portas. Eram já centenas os fãs que se aglomeravam numa fila que serpenteava desde a entrada do pavilhão até aos portões principais, todos eles entusiasmados e com vontade de conhecer o espaço e ver ao vivo os seus ídolos do cinema, televisão, literatura, entre outras artes.

No interior, a zona comercial foi das primeiras a encher com a chegada dos visitantes. Por todo o lado chegavam inúmeros jovens que se dirigiam para as diversas bancas, com o intuito de ver e comprar o que mais lhes agradava. A variedade de artigos era imensa, indo de roupa estampada com símbolos ou mensagens de séries, passando por peluches, simples acessórios, jogos de tabuleiro, livros, entre muitas outras coisas.

Contudo, a zona dedicada aos videojogos também a sua parte de visitas. Tendo a possibilidade de experimentar consolas como a PS4, a Xbox One, a Nintendo 3DS e até mesmo PCs, não faltou quem quisesse dar uma olhada mais de perto às novidades do ano ou mesmo participar nos torneios de Counter Strike ou League of Legends.

A FEBRE DO COSPLAY

Como não podia deixar de ser, não faltaram os imensos cosplayers que percorriam o recinto inteiro, exibindo não só as suas habilidades na criação dos fatos e acessórios como a paixão pela personagem que encarnavam, imitando poses e tirando fotos com os restantes visitantes. Eram estes os heróis do dia, cuja presença, nuns mais discreta, noutros mais excêntrica, era a alma do evento e criava uma animação única e autêntica.

Presente no dia 9, a vencedora do Heróis do Cosplay 2015 Angélica Elfic, designer da marca Elfic Wear e criadora de inúmeras roupas e acessórios com variados temas, deu-se a conhecer aos fãs e falou um pouco do seu percurso como cosplayer. Por sua vez, a cosplayer internacional Ju Tsukino esteve nos quatro dias, mostrando aos fãs as habilidades que lhe valeram imensas premiações internacionalmente.

No último dia ainda houve o Desfile de Cosplay no qual várias pessoas, encarnando diversas personagens de jogos, séries, filmes e anime, desfilaram e posaram perante um público animado. Desde Disney a League of Legends, o palco foi invadido por uma variedade de amantes da cultura popular que aproveitaram os seus breves momentos de fama.

BANDA DESENHADA E LITERATURA

Não seria uma convenção de cultura pop se os livros aos quadradinhos e a literatura não tivessem também o seu lugar. Durante os quatro dias do evento, foram vários os autores e artistas que passaram pelo Auditório Comics & Literatura e pela banca de autógrafos do mesmo tema. Artistas de banda desenhada como Francis Manapul (The Flash e Batman), Chris Claremont (X-Men e Wolverine), o artista belga e “herdeiro” de Lucky Luke Achdé e Alexander Maleev (Daredevil e Hellboy), entre outros, estiveram durante os quatro dias a partilhar as suas experiências e a assinar trabalhos aos fãs que muito dedicadamente seguem os seus trabalhos.

Também os escritores de fantasia tiveram direito ao seu tempo e espaço. Com especial destaque aos autores portugueses, o painel de sábado à tarde foi presenteado com as participações de Filipe Melo e Juan Cavia (Vampiros e As Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy), João Barreiros e Luís Filipe Silva (Terrarium) Filipe Faria (As Crónicas de Allaryia e Felizes Viveram uma Vez), Madalena Nogueira dos Santos (Terras de Corza) e Rui Madureira (Abaddon e Depuração), que partilharam um pouco daquilo que os levou a seguir a escrita e as inspirações para os mundos fantásticos que criaram.

https://www.instagram.com/p/BN2G42yD8lu/?taken-by=espalhafactos

https://www.instagram.com/p/BN2MpCrjszt/?taken-by=espalhafactos

VISITANDO MUNDOS EM MINIATURA

Em parte, a imaginação é um dos aspetos que juntou estes milhares de fãs num único local, e a inclusão de diversos “mundos” em miniatura, ou elementos que representem esses mesmos mundos, foi algo que ajudou imenso.

Este ano, uma das atrações principais foi o Saloon, uma réplica de um típico bar do Velho Oeste encontrou-se aberto àqueles que quisessem visitar o lugar, experimentar as roupas e viver durante alguns minutos como cowboys ou damas de saloon. O local serviu como uma atração baseada na nova série da HBO Westworld, e rapidamente se tornou numa das atrações mais visitadas durante os quatro dias.

Ocupando menor espaço, mas tendo a mesma ou até maior importância para alguns dos visitantes, uma pequena mas muito fiel representação da Plataforma 9 e ¾ do universo de Harry Potter foi alvo de uma enorme afluência de fãs do feiticeiro mais famoso do mundo, que queriam tirar uma foto com aquele pedacinho do mundo que tanto encantou miúdos e graúdos durante anos.

Também a AMC teve direito ao seu próprio lugar neste evento, com um espaço dedicado à série Fear the Walking Dead, apresentando uma atividade que emulava o tema e ambiente da série e permitia aos participantes entrar num jogo em que tentariam sair de uma sala e escapar a um walker que os tentava apanhar.

Mas os mundos em miniatura não se limitavam apenas ao entretenimento mais adulto. Também os mais novos tiveram direito a entrar no imaginário das suas séries favoritas, podendo encontrar a Mistery Machine, a carrinha usada na série de animação Scooby Doo e tirar uma foto com o próprio Scooby.

Para os jovens fãs de Harry Potter, um pequeno espaço para os mais novos permitia-lhes tornarem-se pequenos feiticeiros, experimentando trajes, jogando Quidditch sem vassouras ou mesmo xadrez com peças em ponto grande. Para os que gostavam de dar asas à sua imaginação e construir coisas, o espaço da Lego permitia-lhes usar as inúmeras peças à sua disposição e criar aquilo que a sua imaginação lhes permitia.

Jornalistas: Sara Sampaio e Tiago Costa

Fotografias de: Daniela Gandra, Mariana Gomes e Sara Sampaio