Não houve festa, mas houve Prémios Áquila

A Fénix 2014 Associação Cinematográfica anunciou os vencedores dos Prémios Áquila. O produtor Vasco Rosa, presidente da associação e fundador da produtora ByronProductions, esteve em direto no site oficial e revelou os premiados nas treze categorias de televisão e cinema. Adicionalmente, foram atribuídos três galardões especiais.

Em comunicado, em novembro, a organização da terceira edição dos Prémios Áquila anunciou que não iria existir uma gala de entrega das premiações e apontou como razão a falta de apoio financeiro. “Pelas razões que já conhecemos, este ano os Prémios Áquila não têm uma gala“, começou o realizador. “Mas [têm] somente um anúncio dos vencedores, para manter viva esta iniciativa.

Televisão

A Plural Entertainment arrecadou dois dos prémios na categoria de televisão. A série Massa Fresca, criada pela produtora de Vialonga, ganhou o prémio de Melhor Série, Minissérie ou Telefilme. Para o prémio de Melhor Telenovela, a produção premiada foi A Impostora. No mesmo grupo, outra série da Plural, Santa Bárbara, e duas da SP Televisão, Amor Maior e Rainha das Flores, também estavam nomeadas.

A Impostora reuniu ainda mais um prémio, mas na representação. Diogo Infante foi o destacado na categoria de Melhor Ator Principal, pelo seu papel na novela. Isabel Abreu, antagonista na telenovela Rainha das Flores, venceu a honra de Melhor Atriz Principal. Paula Lobo Antunes e Tiago Felizardo foram os premiados com os galardões de melhores atores secundários.

Vasco Rosa durante os ensaios para a transmissão em direto no Youtube.

Cinema

Cartas de Guerra, o drama inspirado no romance homónimo de António Lobo Antunes, foi reconhecido como Melhor Filme e Melhor Argumento. O realizador de Cinzento e Negro, Luís Filipe Rocha, foi nomeado Melhor Realizador.

O filme, que já arrecadou vários prémios nacionais e que fez parte de mostras internacionais no Brasil e no Canadá, foi vencedor também na categoria de Melhor Ator Principal. Filipe Duarte foi assim destacado pela personagem Lucas, no enredo que tem como cenário a ilha açoriana do Faial.

Maria Rueff fez rir com o seu papel como Gigi, a eufórica vidente protagonista de O Amor é Lindo… Porque sim!, e com ele recebeu o prémio de Melhor Atriz Principal. As comédias A Canção de Lisboa e o Leão da Estrela foram as longas-metragens destacadas com os restantes prémios de representação. A querida tia Margot, São José Lapa, foi vencedora do galardão de Melhor Atriz Secundária e o Melhor Ator Secundário foi José Raposo.

Vasco Rosa não pôde terminar o anúncio antes de revelar os vencedores dos prémios especiais. Sobre o Prémio Condor afirmou que “reconhece um artista que, no decorrer do último ano, tenha vindo a demonstrar um trajeto consistente, apesar de curto, e que revele um talento raro e um potencial singular“. A jovem Mariana Pacheco, que começou a sua carreira nas séries O Jogo, Morangos Com Açúcar e Floribella, foi a reconhecida com o prémio. Recentemente, o talento da atriz tem-se revelado em Bem-vindos a Beirais e Coração d’Ouro.

O ator Luís Vicente foi premiado com o Prémio Fénix e o site CineGuia Portugal venceu o Prémio Excelsior.

Mais Artigos
Adriano Luz e Maria João Bastos em Mistérios de Lisboa
RTP2 homenageia Camilo Castelo Branco com transmissão de ‘Mistérios de Lisboa’