Esta semana, Scream Queens prendou-nos com um regresso inesperado e com a revelação de que todos estávamos à espera. Ainda assim, não consigo deixar de sentir que a série está a ir por água abaixo a um ritmo assustador. O novo episódio, intitulado Rapunzel, Rapunzel, estreou no canal FOX no dia 6 de dezembro.

O hospital recebe um novo paciente que é, nada mais nada menos, Wes Gardner (Oliver Hudson), uma cara conhecida da primeira temporada. Aparentemente, ele tem um tumor gigante no estômago mas a sua prioridade é conquistar de volta a diretora Munsch (Jamie Lee Curtis). Prioridades muito mal definidas, mas enfim.

A dupla consegue efetivamente retomar a relação, o que causa uma onda enorme de ciúmes no doutor Holt (John Stamos). Este ainda tem sentimentos pela diretora e a sua relação com Chanel (Emma Roberts) parece não estar a correr às mil maravilhas, visto que a diferença de idades é gritante.

As Chanels, aconselhadas por Hester (Lea Michele), dão um jantar vintage, de modo a tentar mostrar a Holt que a diferença de idades não precisa de ser um problema. Como já é habitual na série, o cenário hilariante torna-se ridículo numa questão de segundos e a coisa não corre como planeado. Não sei porque é que alguém ainda dá ouvidos a Hester.

Enquanto isso, Chamberlain (James Earl) continua a tentar conquistar Zayday (Keke Palmer) mas esta continua preocupada em tentar desvendar a identidade do assassino. Como tal, os dois decidem atrair o Green Meanie, de modo a roubar-lhe parte do tecido do seu fato e investigar onde tal foi fabricado.

A missão é um sucesso e Zayday dirige-se a uma loja de tecidos para obter respostas. O dono do estabelecimento diz que o primeiro fato foi feito em 1986, o que significa que foi Jane Hollis (Trilby Glover) quem o adquiriu. O segundo fato foi fabricado há uns meses atrás – para o filho de Jane, que é Cassidy (Taylor Lautner), como já sabemos – e um terceiro fato nasceu apenas há uma semanas.

Zayday comete o erro fatal de visitar Jane para esclarecer o assunto e ela admite a verdade. No meio da situação, Jane coloca droga no chá de Zayday e esta acaba por ser raptada. O mesmo aconteceu na temporada anterior com o Red Devil, o que significa que se calhar está na altura de Zayday parar de se armar em detetive.

No meio dos pertences de Wes após a sua operação ao tumor, Chamberlain descobre também um pedaço do tecido verde. Ao confrontá-lo com o assunto, Wes explica que a sua filha Grace (Skyler Samuels) ficou traumatizada com a onda de homicídios a que assistiu e acabou por ser internada num hospício. Wes culpa as Chanels pelo sucedido e está agora à procura de vingança, matando Chamberlain pelo caminho e revelando ser um dos assassinos.

Na temporada anterior, tivemos um total de quatro assassinos. O mesmo já está a acontecer este ano, com Cassidy, Ingrid (Kristie Alley), Wes e uma Hester completamente tresloucada. Se metade do elenco mata pessoas e outra metade apenas está preocupada com sexo e relações amorosas, qual é a verdadeira história no meio disto tudo? Não existe um horizonte para o qual os fãs possam olhar e é pena ver uma temporada tão má após uma estreia tão boa no ano passado.

NOTA: 3/10