Publicado originalmente em 2003, Escombros, de Elena Ferrante, editado pela Relógio d’Água, chega finalmente às livrarias portuguesas.

A misteriosa autora (ou autor), catapultada para a fama com o aclamado A Amiga Genial, volta a dar que falar com a publicação (em português) de um livro de memórias.

Elena Ferrante

Ferrante, cuja identidade não é conhecida, condensa num livro de não ficção, reminiscências sobre a sua intimidade, sobre a sua escrita e sobre a génese do seu processo criativo.

Escombros surge passados dez anos da publicação do seu primeiro romance Um Amor Estranho. Relata as ansiedades da autora em lidar com a atenção mediática quer a nível pessoal quer no que toca à dissecação pormenorizada do seu trabalho.

Um revelar dos bastidores da intimidade

Nesta obra, a escritora responde às perguntas que lhe foram colocadas pelos jornalistas e pelos seus leitores, ao longo dos últimos anos e, com uma certa unilateralidade e distanciamento que a carateriza, entrega ao mundo uma voz que este tanto exige.

Desvenda ao público as suas grandes influências literárias, das quais destaca Elsa Morante, sendo este livro também o resultado da glorificação dos seus interesses inteletuais.

Num livro introspetivo, a autora não levanta o véu sobre quem é, embora este seja um revelar dos bastidores da sua intimidade. Para todos os curiosos, quer com Elena Ferrante, quer com a sua obra difundida por todo o mundo, este é um livro a não perder com um passe de acesso “condicionado” à vida da autora.