Nos dias 25 e 26 de novembro a música faz mexer a zona da Avenida da Liberdade com concertos espalhados por salas mais clássicas e outras mais improvisadas. Deixamos-te algumas sugestões das viagens pela música que podes fazer no Vodafone Mexefest.

O que é nacional é bom

Não conhecemos melhor frase para descrever a ementa de nomes portugueses que atuarão no Vodafone Mexefest. Desde os Fugly e os 800 Gondomar, no Vodafone Bus, Bruno Pernadas, Celina da Piedade, Ganso, Octa Push ou Branko são alguns dos nomes da seleção nacional que vêm mostrar porque merecem estar num festival que aponta as setas ao futuro da música. Há ainda homenagem a Dina, que conta com vários artistas portugueses, no projeto Dinamite. Nome sugestivo, não?

Seleção brasileira de luxo

E se não queremos abandonar a metáfora futebolística, como não referir os brasileiros que tomam conta do coração da cidade de Lisboa? Da doce Mallu Magalhães ao samba-funk de Céu e Elza Soares – uma emergindo na cena, outra recebendo o epíteto de “lenda viva”. Imperdíveis.
https://www.youtube.com/watch?v=v_O9Vjy4q5o

A carne toda no assador

Sim, a melhor defesa é o ataque e para isso nada melhor que afiar as guitarras e carregar no pedal. Sunflower Bean trazem rock a abrir de Nova Iorque; os Dead Pretties mostram que sendo hermafroditas – como os próprios se designam – têm tudo no sítio; Jagwar Ma trazem o rock sintético e ensolarado da Austrália e prometem fazer estragos.

Música negra

Há um universo da música mais rítmica e emotiva que o Vodafone Mexefest sempre cuidou em apresentar. Este ano artistas soul e do R&B como Gallant, Nao e o trio King podem muito bem ajudar a enviar as melhores energias para Charles Bradley que, recorde-se, teve de cancelar a vinda ao festival por estar doente.
No campo do hip hop e suas variantes as atenções estarão voltadas para La Dame Blanche (preparem-se para dançar a cúmbia), o genial Talib Kweli (nome maior desta edição?) ou o encontro único de Diamond D & Large Professor, ainda por cima no Capitólio que reabre as portas.

E ainda…

Baio dos Vampire Weekend no seu interessante projeto a solo, Taxiwars com dEUS Tom Barman, maravilhosos Whitney com um dos melhores discos do ano, Howe Gelb e os seus incríveis chapéus, a folk doce de Kevin Morby

Razões para não perderes o Vodafone Mexefest? São tantas que até perdemos os números. Dia 25 e 26 de novembro com bilhete para os dois dias a valer 45 euros se comprado antecipadamente; 50 euros no próprio dia.