American Horror Story

American Horror Story 6×09: a sobrevivente de Roanoke

Falta apenas um episódio para o grande final da sexta temporada de American Horror Story e esta semana descobrimos finalmente quem foi a sobrevivente de todo este pesadelo em Roanoke. O nono episódio estreou no canal FX no dia 9 de novembro. Em Portugal, a série é transmitida na FOX.

Somos apresentados a um grupo de adolescentes, de nomes Todd (Jacob Artist), Milo (Jon Bass) e Sophie (o tão aguardado regresso de Taissa Farmiga a American Horror Story). O trio é completamente devoto à primeira série My Roanoke Nightmare e decide investigar o local, de modo a ganhar seguidores online, munidos com câmaras e telemóveis. Por falar nisso, os telemóveis nesta série parecem ter bateria infinita. Se assim for, eu quero um!

O grupo encontra um homem desconhecido morto dentro de um carro virado ao contrário e tenta reportar o caso à polícia, mas as autoridades não acreditam. Como em todos os filmes de terror, e como diz o próprio Milo, a polícia apenas decide fazer alguma coisa quando já é tarde demais. Tal virá a confirmar-se verdade.American Horror Story

Enquanto isso, Dylan (Wes Bentley) explica que recebeu indicações para aparecer no local neste dia em específico, sem telemóveis ou qualquer contato do exterior, de modo a agitar as coisas dentro da casa. Quão conveniente, certo? Enfim, ele, Audrey (Sarah Paulson) e Lee (Adina Porter) decidem voltar à residência dos Polk de modo a recuperar os vídeos lá deixados.

Há certas inconsistências que começam a saltar à vista, agora que nos aproximamos do final. As personagens têm telemóveis cujas baterias duram dias, mas não têm um único traço de rede? Após sofrerem horrores tanto na mansão Roanoke como nas catacumbas dos Polk, são esses os dois sítios aos quais estão constantemente a regressar? Para além disso, tenho a certeza de que se eles fizessem um esforço para fugir do local, a civilização mais próxima não havia de estar assim tão longe. Mas adiante.

O grupo consegue resgatar Monet (Angela Bessett), mas Dylan acaba por ser assassinado por um dos membros sobreviventes da família Polk. Wes Bentley é mais um dos nomes que esta temporada fez questão de adicionar durante dois ou três episódios e matar sem justa causa, desperdiçando o seu talento.American Horror Story

No meio da confusão, Lee acaba por ficar para trás e dá de caras com uma figura enigmática – que eu não percebi bem se era a Carniceira ou a Ninfa da Floresta. Enfim, dita figura dá-lhe um coração de porco para comer e Lee fica obviamente possuída, pronta para trazer ainda mais caos à situação.

Os três jovens que conhecemos no início do episódio decidem regressar ao local para provar a sua história e dão de caras com uma Lee já possuída, a qual assassina Todd em primeira lugar. Sophie e Milo tentam escapar, refugiando-se até na caravana abandonada de Sidney (Cheyenne Jackson), mas são rapidamente capturados pelo tribo Roanoke – já que estamos no último dia do ciclo da lua vermelha – e assassinados com uma estaca de madeira, na qual são queimados vivos.

Eu percebo que elenco novo é essencial para lavar a cara à série, mas qual o sentido de trazer de volta nomes como Taissa Farmiga se ela não consegue durar mais do que um episódio? Para além disso, os jovens foram representados como puramente ingénuos e incapazes de se defender, sofrendo uma das piores mortes que a série alguma vez criou. Acredito que pessoas com tal idade e vivacidade não se deixassem ir abaixo tão facilmente.640

De volta à casa, Lee continua na sua onda de assassínios, empurrando Monet pelas escadas abaixo e conseguindo efetivamente matá-la. A protagonista tenta também livrar-se de Audrey, mas, na manhã seguinte, quando a polícia chega FINALMENTE ao local, descobrimos que Audrey sobreviveu ao ataque. Esta tenta vingar-se de Lee, mas a polícia interpreta a situação erradamente e acaba por abater Audrey.

Este desfecho desperta uma onda de sentimentos mistos. Lee tinha todos os motivos para ser a sobrevivente de Roanoke, tendo em conta o seu crescimento enquanto personagem e a prestação irrepreensível por parte de Adina Porter. Contudo, detestei ver uma Lee possuída e responsável pela eliminação de outros protagonistas tão ou mais importantes.

Na próxima semana, assistiremos ao regresso de Lana Winters, a personagem protagonizada por Sarah Paulson na segunda temporada de American Horror Story, que aparentemente entrevistará Lee, já que ambas foram sobrevivente de tão perturbadores tragédias.

Posto isto, é inegável que Roanoke tem sido uma montanha russa de reviravoltas, questionando o próprio conceito de terror e desafiando as capacidades do seu elenco, o qual conseguiu criar dois ou três universos diferentes em apenas dez episódios.

NOTA: 8/10

Mais Artigos
Cláudio Ramos Maria Botelho Moniz
Cláudio Ramos e Maria Botelho Moniz já têm data de estreia nas manhãs