Tabacaria Fernando Pessoa

Nova edição de “Tabacaria” de Fernando Pessoa inclui fotos de Lisboa

A partir do próximo dia 23 de novembro estará disponível uma nova versão do poema Tabacaria, de Álvaro de Campos, heterónimo de Fernando Pessoa. A edição conta com uma caixa em madeira e 25 fotografias inéditas da Baixa da cidade de Lisboa.

A iniciativa parte da editora Guerra & Paz que em declarações à agência Lusa e citada pelo Observador refere que o mote para a nova edição de Tabacaria, poema escrito em 1928, surgiu a partir de alguns versos de um outro poema de Álvaro de Campos: “Sentindo húmida da noite a madeira onde agarro,/Debruço-me para o infinito e, um pouco, para mim”.

Esta edição, refere ainda a mesma fonte, vem numa caixa de madeira álamo ou choupo, revestida em orla de madeira. A capa e contracapa foram impressas em UV e a lombada em laser, tendo um acabamento final em verniz mate.

Está incluído também um álbum com 25 fotografias inéditas da Baixa de Lisboa, transformado em dois pequenos volumes. Trata-se, por isso, de uma caixa-livro, que está a ser produzida pela Ambienti d’Interni, empresa de Proença-a-Nova que fez também as caixas das medalhas dos atletas dos Jogos Olímpicos deste ano.

Um livro com um som diferente, num encontro inovador

Carlos Silva, representante da Ambienti d’Interni, citado pelo Observador, referiu à Lusa que aquilo que a empresa fez foi “procurar os materiais e as formas que pudessem ser equivalentes à delicadeza e à elegância do livro”, criando assim uma edição que é o “resultado do encontro inovador” de duas empresas, a de madeira e a editora.

A Guerra & Paz refere ainda que este se trata de um livro “que traz um som diferente”, apelando ao verso em que Álvaro de Campos escreve que “O ruído do ranger da madeira é dentro da alma”. Para a editora, este será um objeto que, embora de grande dimensão, se mantém elegante.

Mais Artigos
Rui Reininho
À Escuta. Rui Reininho, Cláudia Pascoal e Pongo entre os destaques