Já são conhecidos os vencedores das várias secções do festival. A cerimónia da entrega de prémios ocorreu hoje à noite na Culturgest, e antecipou a estreia mundial de Nos Interstícios da Realidade ou o Cinema de António de Macedo, de João Monteiro.

O road movie do realizador suiço Pierre-François Sauter, Calabria, venceu o Grande Prémio Cidade de Lisboa para Melhor Filme da Competição Internacional, ao ser eleito pelos jurados Manon de Boer, Karen Akerman e Valérie Massadian, bem como pela programadora do Festival de Cinema de Hamburgo Kathrin Kohlstedde e o jornalista Ludovic Lamant.

Lê também: DocLisboa’16: O Tributo à vida

O júri composto pela realizadora Emily Wardill, o programador do Festival Internacional de Cinema Documental de Copenhaga Mads Mikkelsen e a música Xana (Alexandra Carmo), voz dos Rádio Macau, elegeu Ama-San, de Cláudia Varejão, como Melhor Filme da Competição Portuguesa (Prémio Ingreme).

A Cidade onde envelheço, de Marília Rocha foi distinguido com o Prémio Kino Sound Studio, O Espectador Espantado, de Edgar Pêra, venceu o Prémio ETIC, filmes que foram analisados pelo Espalha-Factos:

Lê também: DocLisboa’16: O triunfo do filme ensaio

Quanto à secção Verdes Anos,  Pulse, de Robin Petré, venceu o Grande Prémio La Guarimba. O Prémio Especial foi entregue a O Cabo do Mundo, de Kate Saragaço-Gomes. Ambos os prémios foram delegados pelo júri composto por Giulio Vita, Leonor Teles e Nuno Lisboa.

Os restantes vencedores (Competição Internacional):

Menção Honrosa Grande Prémio Cidade de Lisboa para Melhor Filme da Competição Internacional: Sol Negro, de Laura Huertas-Millán;

Prémio Sociedade Portuguesa de Autores, atribuído pelo júri da secção Competição Internacional: Azayz, de Ilias El Faris;

Prémio José Saramago, da Fundação José Saramago e da Livraria Lello, para o melhor filme falado em português, galego ou crioulo: Correspondências, de Rita Azevedo Gomes, sobre as cartas trocadas durante o Estado Novo entre Jorge de Sena e Sophia de Mello Breyner Adresen;

Prémio FCSH para Melhor Primeira Obra: 300 Miles, de Orwa El Mokdad;

Prémio Jornal Público para melhor curta-metragem: Downhill, de Miguel Faro;

Prémio do Público / Prémio RTP para melhor filme português: Cruzeiro Seixas – As Cartas do Rei Artur, de Cláudia Rita Oliveira;

Os vencedores dos principais prémios serão exibidos novamente, este domingo: Downhill, de Miguel Faro; e Ama-San, de Cláudia Varejão, no Cinema São Jorge, às 16h15; 300 Miles, de Orwa El Mokdad, na Culturgest, às 19h00; e Azayz, de Ilias El Faris, e Calabria, de Pierre-François Sauter, na Culturgest, às 21h30.