Como nos foi prometido, esta semana Once Upon a Time transportou-nos para um mundo ideal: Agrabah, onde fomos apresentados à tão aguardada história de Aladdin e Jasmine. O novo episódio da série, intitulado Street Rats, estreou no canal ABC no dia 23 de outubro. Em Portugal, a série Era Uma Vez é transmitida no AXN White.

Há muitos anos, o reino de Agrabah está em perigo graças a Jafar (Oded Fehr), o que faz com que a princesa Jasmine (Karen David) tenha de procurar um Salvador. Quem melhor para o papel do que o famoso Aladdin (Deniz Akdeniz)? A dupla parte numa aventura pelo deserto até encontrar a Caverna de Maravilhas, discutindo durante o caminho todo. A isto é que eu chamo preparar terreno para o casamento.

Dentro da caverna, Aladdin descobre que tem poderes mágicos – à semelhança da atual Salvadora, Emma (Jennifer Morrison), e de metade das personagens da série, sejamos sinceros. Quando Jasmine é raptada e ameaçada de morte por Jafar, o protagonista aprece no seu famoso tapete voador e salva o dia. Para quem nunca tinha praticado magia, Aladdin resolveu a situação de forma demasiado fácil.Once Upon a Time

Pouco sabemos sobre o que sucedeu. Jafar escapou para outra terra e Aladdin, sendo o novo Salvador, tem o dever de o perseguir. Jasmine fica em Agrabah, pois é a princesa do sítio, mas sabemos que eventualmente ela acabou por viajar para a Terra das Histórias Inacabadas – daí estar agora em Storybrooke. É provável que esta história não se fique por aqui, pois todas as personagens foram introduzidas de forma muito rápida e Jafar foi derrotado num piscar de olhos. Enfim, adiante.

Em Storybrooke, nos dias de hoje, Jasmine – ou Shirin, o seu nome neste mundo – continua à procura de Aladdin. Sendo que este é um Salvador, Emma acredita que ele lhe possa dar respostas e recruta o resto do grupo para esta nova tarefa. Isto faz com que Emma revele as suas visões e toda a gente fica magoado por tais terem sido mantidas em segredo, especialmente Hook (Colin O’Donoghue) – por ser seu namorado – e Regina (Lana Parrilla) – por ser acusada de assassínio.

Enquanto isso, a Rainha Má decide raptar Archie (Raphael Sbarge) e transformar-se nele, de modo a infiltrar-se no grupo de heróis e estar a par dos seus planos. Regina continua a ser boa e fabrica uma poção capaz de unir a magia dos Salvadores, ou seja, se Emma a beber, será capaz de encontrar Aladdin.

Às vezes fico com a sensação que em Once Upon a Time a magia é desculpa para resolver tudo e mais alguma coisa.Once Upon a Time

A Rainha Má decide também apostar no seu laço de irmã com Zelena (Rebecca Mader) e as duas dão-nos a melhor cena do episódio, em que decidem ir à manicure, beber champanhe, falar sobre as suas vidas sexuais e conjurar planos maléficos. Isto faz com que Zelena comece a aceitar novamente o seu lado malvado, arruinando qualquer hipótese de redenção, mas se esta dupla se mantiver, eu não me queixo!

Emma é conduzida ao cemitério e supõe então que Aladdin esteja morto, partindo o seu próprio coração, mas sobretudo o de Jasmine. Surpresa das surpresas! Aladdin entra em cena, vivo e de boa saúde. Aparentemente, ele usou uma tesoura mágica que corta o seu dever enquanto Salvador, dando então a tesoura a Emma para ela fazer o que bem entender. A protagonista dá a tesoura a Hook para ele se livrar dela, mas o pirata acaba por mantê-la guardada em segredo.Once Upon a Time

Aladdin e Jasmine têm a sua tão aguardada reunião, mas a felicidade é breve, já que Jasmine diz que Agrabah está novamente em perigo e ainda há muito trabalho a fazer. De volta a casa, Zelena decide transformar Archie de novo num grilo – já que essa era a sua verdadeira forma na história de Pinóquio, se estão recordados -, preparando-se para uma boa dose de malvadez com a sua nova irmã.

Embora tudo relacionado a Agrabah seja completamente encantador, fiquei com a sensação de que este episódio de Once Upon a Time foi realizado a uma velocidade abrupta. As personagens não especificaram quaisquer motivações, a magia resolveu tudo rapidamente e acabámos por não obter quaisquer respostas quanto ao estatuto de Emma. Até a Rainha Má, que continua a ser a minha parte favorita desta temporada, parece não ter propriamente um plano definido. Uma temporada óptima até agora, mas ainda com um rumo incerto.

NOTA: 7/10