Anne Hathaway admitiu, em declarações ao The Guardian, ter fingido estar feliz quando recebeu o Oscar de Melhor Atriz Secundária em 2013.

O prémio, atribuído pela interpretação de Fantine no filme Os Miseráveis, não surgiu numa boa altura para a estrela, que se sentiu “muito desconfortável“. Na história, a sua personagem é obrigada a prostituir-se e vende o próprio cabelo e alguns dentes para conseguir sustentar a filha.

É óbvio, tu ganhas um Oscar e supostamente deves ficar feliz. Eu não me senti assim. Senti-me mal porque estava a vestir um vestido que custa mais do que algumas pessoas vão receber na vida inteira, e ganhei um prémio por interpretar uma dor real em grande parte da nossa experiência coletiva como seres humanos“, clarificou.

Lê também: Crítica – A arrepiante melodia d’Os Miseráveis

 

https://youtu.be/k_b5xav1jls

Anne Hathaway foi, nesse ano, uma das mais requisitadas atrizes de Hollywood, o que aumentou a atenção sobre as suas ações – “Tentei fingir que estava feliz e não correu bem. É chato. Mas o que podemos aprender com isso é que nós só pensamos que podemos morrer de vergonha, mas não morremos“.

Os Miseráveis chegou aos cinemas portugueses em 2013 e serviu de comemoração dos 25 anos do musical francês com o mesmo nome. A história passa-se em plena Revolução de Julho, entre duas grandes batalhas: a Batalha de Waterloo e os motins de junho de 1832. Foi um dos filmes mais bem sucedidos do ano no nosso país, acumulando quase 1 milhão de euros em receitas de bilheteira.