O Halloween está a chegar e, para os fãs de Scream Queens, isto equivale a mais uma edição do famoso Chanel-o-Ween. Este poderia ser um grande evento, caso duas das nossas personagens favoritas não tivessem sido eliminadas no episódio desta semana. Halloween Blues estreou no canal FOX no dia 18 de outubro.

Está na altura de prestar luto pela morte de Chad (Glen Powell) e isto significa uma rivalidade entre Chanel (Emma Roberts) e Denise (Niecy Nash), já que ambas estiveram envolvidas com o rapaz mais rico da televisão americana. Contudo, a surpresa chega quando o testamento de Chad é deixado por inteiro à diretora Munsch (Jamie Lee Curtis) e ao hospital. Ou Chad teve uma mudança de coração nos últimos minutos da sua vida ou há aqui muito pano para mangas ainda por explorar.

Chanel tenta aliviar o seu luto com mais uma edição de Chanel-o-Ween, em que, através de uma câmara de telemóvel, seguimos a protagonista a entregar os piores presentes a raparigas desesperadas pelo país inteiro. Se o Chanel-o-Ween do ano passado já tinha sido bom, este atingiu o equilíbrio perfeito entre o ridículo e o hilariante.sq-s2_ep204d4-halloweenblues-scn9_0004_hires1_full

Isto parece não ser suficiente, já que Chanel continua em baixo e começa a revelar algumas irritações na sua pele. O doutor Holt (John Stamos) prepara um tónico para a acalmar, mas isto apenas faz com que, na manhã seguinte, Chanel acorde com a pele completamente azul. Não é difícil adivinhar que a sua máscara de Halloween será um Smurf e está então oficialmente aberta a festa no hospital.

No meio da festa, Denise (Niecy Nash) é atacada pelo novo Green Devil. Contudo, como sabemos desde a primeira temporada, Denise é uma mulher feita e sabe defender-se, conseguindo afastar o inimigo. Isto faz com que a detetive ceda ao pedido de Hester (Lea Michele): esta será solta da sua prisão durante 24 horas e, em troca, revelará a identidade do novo assassino.

Claro que este plano nunca poderia correr bem. Chanel dá de caras com alguém mascarado de Ivanka Trump, que rapidamente a começa a perseguir. Chanel sai de cena com uma perna aleijada e, antes que possamos entrar em qualquer especulação, a máscara de Ivanka é rapidamente removida e é Hester quem se esconde por trás dela. Somos levados a pensar que Hester está a trabalhar lado a lado com o novo assassino, mas a verdade é que ela já teve esse protagonismo na temporada anterior. Porquê voltar a repeti-lo?sq-s2_ep204d6-halloweenblues-scn27pt1_0185_hires1_full

A festa do hospital é invadida por duas dúzias de pacientes, provenientes de outro festa, e que, pelos vistos, foram todos envenenados. Uma rapariga mascarada de Branca de Neve diz ter visto o Green Devil a trocar a água das maçãs, chegando então à conclusão que todos estes novos pacientes são uma distração para que o assassino possa levar a cabo o seu plano. No meio de tudo isto, a única coisa em que eu pensava era que nunca tinha visto tantos disfarces tão bem executados em tão pouco tempo.

A teoria confirma-se quando Chanel #5 (Abigail Breslin), sozinha nos corredores do hospital, é encurralado por Hester e pelo Green Devil, levando com uma facada nas costas – literalmente. Denise aparece para salvar o dia, mas, infelizmente, também ela é apanhada na tragédia, ao ser atacada três vezes com um desfibrilador.

Tendo em conta que, na temporada anterior, foram quatro pessoas envolvidas no esquema do Red Devil, este ano gostava de ver algo mais discreto e o envolvimento de Hester desde já me incomoda. Pior do que isso é que teremos de esperar até ao próximo episódio para ver se Chanel #5 e Denise estão efetivamente mortas. A primeira é irritante, mas adorável, e a segunda é o pilar de toda a comédia da série. Se alguma delas for, de fato, eliminada, temo que Scream Queens tenha dado um tiro no próprio pé.

NOTA: 8/10