Festival do Flamenco está de regresso a Lisboa, nos dias 26 de outubro, 25 e 26 de novembro, para apresentar no Teatro da Trindade três espetáculos distintos. Com nove anos de existência, esta será provavelmente a edição mais audaz, na qual se procura exultar o lado mais luminoso e misterioso da guitarra, do baile e do cante flamenco.

Festival do Flamenco e o vibrante mundo de Javier Conde

O quarteto de Javier Conde fará as honras de abertura do festival, no dia 26 de outubro. Conhecido como “miúdo revelação”, o artista, natural de Cáceres, é um dos guitarristas flamencos de maior projecção. No espectáculo que apresenta em Lisboa “El flamenco y su vibrante mundo”, serão interpretados alguns dos estilos mais representativos do flamenco. O concerto está inserido na Experimenta Extremadura, um projecto bianual, que pretende despertar o interesse e conhecimento da Extremadura em Portugal. Neste mesmo dia, no Espaço Flamenco Atlântico, realizam-se aulas de guitarra, às 18h.

A estreia da Columna Flamenca

No dia 26 de novembro, a Columna Flamenca, uma companhia de Flamenco, composta por artistas de várias nacionalidades e criada em Lisboa em 2016 pela Associação Flamenco Atlântico, irá estrear no Festival do Flamenco com um espetáculo que promete ser intrigante e original. CORPO SONORO é o nome da primeira criação, um tríptico intimista de baile flamenco, inspirado no texto Rayuela do escritor Júlio Cortazar, nos poemas de Federico Garcia Lorca e no álbum Street Hassle de Lou Reed, gravado em 1978. Experimentação, intervenção, improvisação, baile, electrónica.

PROGRAMA:

LA RAYUELA (25 Min). Solea, Rumba 4×4, Bulerias, Verdiales/bandolao.
Na procura da felicidade, aquela que está perto de nós, à altura dos nossos pés. “Por qué no aceptar lo que está ocurriendo sin pretender explicarlo”, Julio Cortazar.

DONDE ESTA FEDERICO (25 min). Seguirilla.
Federico Garcia Lorca, está próximo, mas tentamos encontra-lo, às vezes com desespero e nessa altura procuramos no mais profundo de cada um de nós.

STREET HASSLE (20 min). Buleria
Versão livre por bulerías da música de Lou Reed, composta em 1986.

É ainda possível ter aulas de baile, às 18h, no Espaço Flamenco Atlântico.

A carpeta de Manuel Fernández Montoya

O Festival Flamenco de Lisboa, termina no dia 27 de Novembro, com mais uma estreia em Portugal. Manuel Fernández Montoya, “El Carpeta”, da dinastia “Los Farruco” e irmão mais novo de Farruquito, “foi batizado pelo seu avô com a alcunha de “Carpeta” porque desde pequeno absorvia como uma esponja toda a arte que se esbanjava em casa, guardava tudo numa pasta (carpeta) e agora começa a mostrar tudo o que leva dentro dela.”

É evidente que a sua raça e forma de sentir o baile flamenco lhe vem de casta, mas o seu espaço foi criado com alma aberta e a promessa de que se apresentará o presente e o futuro do novo baile flamenco.

Flamenco Atlântico

O Festival do Flamenco é organizado pela Flamenco Atlântico, associação cultural sem fins lucrativos, criada em 2013 enquanto estrutura de criação, produção e promoção para a arte do Flamenco e outras atividades relacionadas. Anualmente são apresentados concertos, exposições, master classes, ateliês, conferências e aulas.

ffl2016-sd