Foi num âmbito comemorativo que Nuno Gama apresentou as suas propostas para a próxima estação quente. No ano que marca 25 anos de ModaLisboa, também o designer português celebra 50 anos de vida e 30 de carreira na moda. Gama abriu o penúltimo dia da edição Together e escolheu o Museu de Marinha de Lisboa para cenário da sua coleção.

Num ambiente que remete para o passado, foram apresentadas as tendências que Nuno Gama propõe para o futuro. Entre antigas embarcações e avionetas, os modelos desfilaram numa coleção minimalista em que predominou uma paleta de tons claros. Branco, bege, pérola, rosado e cinzento foram algumas delas.

A base continua a ser o clássico – ou não estivéssemos a falar de Nuno Gama – mas este estilo foi adaptado pela criatividade do patriota. O designer deu toque clean às suas peças, muitas vezes, de forma literal. Entre fatos completos, surgem looks de peça única, como calções ou cuecas, apenas acompanhados pelo calçado ou por um mero acessório. O curto é a palavra-chave, esteja ele representado nas mangas ou na calça. A utilização de tecidos leves nalgumas peças vêm intensificar esta imagem.

Mas as cores mais escuras como o azul, preto ou castanho e os tecidos mais pesados também estiveram presentes. Muitas vezes coordenados com tons claros mas, também, usados no total do look. O vermelho também esteve presente em várias peças.

O antagonismo entre o passado e o futuro surge, novamente, com os óculos de realidade virtual da Playstation utilizados pelos próprios modelos. Apesar desta oposição interessante, num desfile com tantos simbolismos, Nuno Gama corre o risco de ser apelidado de repetitivo e monótono quando comparado com desfiles anteriores do designer. A sequência de looks em que apenas as cores são o fator de distinção pode ser o argumento.

Fotografia: ModaLisboa