Enquanto os membros da família Gallagher continuam a viver a sua vida, Frank (William H. Macy) faz questão de marcar a sua presença da pior maneira e causar sarilhos a toda a família. O novo episódio de Shameless, intitulado Swipe F*ck Leave, estreou no canal Showtime no dia 9 de outubro.

O pior pai do mundo já não está numa cadeira de rodas – uma recuperação incrivelmente rápida, diga-se de passagem – e decide contratar construtores civis para montarem paredes de cimento no piso superior da casa, de modo a impedir aos Gallagher o acesso aos quartos ou casa-de-banho.

Porquê? Ainda magoado por não ter recebido visitas durante o seu mês de coma, a missão de Frank é agora deserdar a família inteira – exceto o pequeno Liam, que continua adorável e parece estar a seguir os maus caminhos do pai.

Enquanto isso, Lip (Jeremy Allen White) começa o seu estágio numa empresa, que envolve simplesmente servir cafés e seguir ordens variadas. A empresa parece não ser completamente fidedigna, já que a meio do episódio aparece o F.B.I. lá metido.

Lip parece também estar a fazer progressos quanto ao seu alcoolismo, já que bebeu consideravelmente menos relativamente à semana passada, nomeadamente quando foi sair à noite e se envolveu com uma rapariga. O meu coração ainda chora por Lip ter desistido da faculdade, pois, de toda a família, sempre achei que seria ele a chegar mais longe.Shameless

Ian (Cameron Monaghan) confronta Caleb (Jeff Pierre) acerca do seu envolvimento com uma mulher e este defende que não foi traição, já que não o fez com um homem. Isto faz com que o próprio Ian se envolva com uma rapariga desconhecida e rapidamente se arrependa da situação, decidindo terminar a relação com Caleb de uma vez por todas. Seja homem ou mulher, traição é traição, e faz-me comichão a forma como Caleb ainda se tentou defender e ficou zangado com o desfecho da história.

Carl (Ethan Cutkosky) tem tido problemas em lidar com a sua circuncisão, dirigindo-se ao médico duas vezes por ter tido uma ereção. Embora isto seja Shameless e o assunto seja abordado da forma mais explícita possível, o que eu gostei de ver foi a atitude carinhosa de Dominique (Jaylen Barron), que apoia Carl da melhor maneira possível e parece estar a apostar a 100% nesta relação. Já estava na altura de Carl endireitar a sua vida e encontrar uma rapariga como deve ser.

Do outro lado da vizinhança, Kevin (Steve Howey) fica encarregue das tarefas domésticas e de cuidar das filhas, enquanto Veronica (Shanola Hampton) e Svetlana (Goreshter) tratam dos assuntos do bar. Vendo-se incapaz de lidar com as lidas da casa, Kevin decide começar um negócio que envolva empregadas domésticas que trabalhem com o peito à mostra. Eu sei que isto é Shameless, mas espero sinceramente que esta ideia não vá avante. Este trio merece uma história mais consistente.Shameless

Fiona (Emmy Rossum) teve os melhores e piores momentos do episódio. No restaurante, sendo gerente do espaço, decide despedir todas as empregadas atuais e contratar novas – o que é compreensível, já que as antigas eram rudes e não faziam o seu trabalho.

Numa saída à noite com as novas colegas, Fiona é apresentada ao maravilhoso mundo do Tinder, acabando por se envolver com um estranho no bar. O que aconteceu à decisão de pôr os homens de parte, como vimos no episódio passado? Oxalá as suas decisões na vida pessoal fossem tão boas quanto as da vida profissional.

Enquanto Debbie (Emma Kenney) continua o seu negócio de vender carrinhos roubados e com o seu estatuto de pior mãe do mundo, Fiona é confrontada com o cerne da questão: o seu problema com homens provém da desgraça do seu casamento falhado com Sean (Dermot Mulroney) há um mês. Como tal, a irmã mais velha decide descarregar a sua raiva e, em conjunto com o resto da família, demolir as paredes que Frank construiu.

Cada vez é mais gritante o fato de Frank estar completamente deslocado do resto da família e, enquanto no passado os seus erros eram simplesmente engraçados, agora estão a tornar-se ofensivos. Embora seja impossível descartar uma personagem tão importante, sinto que Shameless tem potencial para levar as suas personagens cada vez mais longe e Frank é apenas uma pedra no sapato.

NOTA: 7/10