American Horror Story

American Horror Story 6×04: as origens da bruxa e da tribo

Há algum tempo que uma temporada de American Horror Story não tinha uma estrutura tão bem desenhada e um elemento de terror tão bem definido. My Roanoke Nightmare está melhor a cada episódio, enquanto as temporadas anteriores pareciam avançar indefinidamente sem rumo. O quarto episódio desta sexta instalação estreou no canal FX no dia 5 de outubro.

Após a poeira do episódio anterior assentar, os protagonistas nem têm tempo para respirar. Shelby (Sarah Paulson) é atacada pelo Homem Porco, a mesma figura que tem assombrado a casa em todos os episódios. Felizmente, Elias (Denis O’Hare) aparece para resolver o assunto e afasta o inimigo, usando novamente a palavra “Croatoan”. Se estão recordados, Elias é o homem que apareceu numa cassete há duas semanas, sendo um dos antigos proprietários da casa.

Elias aproveita para esclarecer o historial da propriedade: todas as famílias que lá viveram desapareceram ou morreram durante o ciclo da lua vermelha em outubro, incluindo as duas enfermeiras que já conhecemos, uma família tailandesa e o proprietário original da casa, Edward Phillipe Mott – sim, o apelido é o mesmo de Dandy, o vilão da quarta temporada da série. Tendo em conta que este é o quarto episódio de Roanoke, a teoria de que esta temporada de American Horror Story incorpora elementos de todas as outras parece estar a ganhar forma.American Horror Story

Os protagonistas decidem aventurar-se novamente pela floresta – porque claramente não aprendem com erros passados – e acabam por encontrar todas as personagens mortas da casa, incluindo a fantasma Priscilla e Flora, a filha desaparecida de Lee (Angela Bessett).

Antes que eles possam fazer alguma coisa, a tribo aparece e assassina Elias, dando tempo suficiente para Matt e Shelby fugirem. Espero que esta não seja a última vez que vemos Elias nesta temporada, caso contrário será um desperdício do talento de Denis O’Hare.

De volta à casa, o casal depara-se novamente com Cricket (Leslie Jordan), o qual explica finalmente o resto da história da tribo: apercebendo-se de que a tribo estava lentamente a ceder ao cristianismo, Tomasyn (Kathy Bates) encontra-se com a ninfa da floresta (Lady Gaga), a qual lhe promete imortalidade se ela ceder à vontade dos antigos deuses.

Como tal, Tomasyn sacrifica a tribo inteiro – incluindo a si própria -, tornando-os a todos espíritos imortais, cuja missão é matar qualquer pessoa que pôs os pés na sua terra, ou seja, no terreno onde a casa foi construída. Tendo em conta que o ciclo da lua de outubro está prestes a começar, é seguro dizer que o verdadeiro sarilho começa agora.

Mais uma vez quebramos a quarta parede quando o entrevistador do documentário My Roanoke Nightmare decide dar o ar da sua graça, fazendo-nos novamente questionar o porquê de esta temporada estar a ser contada através deste formato e, se isso tem alguma influência, em qual das partes (os entrevistados ou os atores da encenação) é, de fato, verdadeira.American Horror Story

Durante a noite, Matt (Cuba Gooding Jr.) é seduzido até à cave, onde encontra novamente a ninfa protagonizada por Lady Gaga e cede aos seus encantos. O ato sexual, conta o próprio, é de tal forma mágico que ele tem acesso à história da bruxa. Ela era uma simples rapariga inglesa, capturada no Novo Mundo e condenada à morte. Felizmente, consegue seduzir um guarda e escapar, entrega a sua alma aos antigos deuses e ganha o poder que hoje possui. Não é uma história propriamente convincente, mas serve para mostrar que Lady Gaga domina outros papéis para além da Condessa da temporada anterior.

Também Shelby acorda e depara-se com a tribo inteira à porta de sua casa, pronta para sacrificar Flora. Contudo, Priscilla entra em ação e salva a criança, fazendo com que ela, Matt e Shelby consigam escapar para dentro de casa. Mas o pior está para vir: a tribo tem também Cricket como refém e decide estripá-lo vivo, assinalando então o primeiro sacrifício de sangue fresco e uma das mortes mais horrorosas que American Horror Story criou.

Está oficialmente aberta a luta entre os residentes da casa e a tribo Roanoke, agora que já conhecemos as histórias de todos. Tendo em conta que a temporada ainda vai a meio, resta saber quais as reviravoltas que estão guardadas e de que forma as temporadas anteriores se continuarão a refletir na atual. Por falar nisso, já lá vão quatro episódios e ainda ninguém pôs os olhos em Evan Peters.

NOTA: 9/10

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
festa é festa ana guiomar
‘Festa é Festa’ recupera liderança por margem mínima