De três a 10 de novembro, o The New Art Fest invade a capital portuguesa para explorar a inovação cognitiva nas artes contemporâneas e apresentar projetos artísticos na área da tecnologia e da ciência.

Mundo virtual: as novas infraestruturas de arte e exposição

O novo festival internacional de new mediapost-internet art internet of things assume-se como o reflexo de uma geração de artistas que parte do contexto do mundo virtual, que cria para as novas infraestruturas de arte, os smartphones tablets, e que vive o seu quotidiano entre o Instagram e outras plataformas digitais, os seus atuais museus e espaços expositivos.

The New Art Fest fará exposição de obras de arte em vários espaços, nomeadamente na zona do Chiado, centro de eixo cultural que se prolonga desde o Largo do Rato ao Cais do Sodré, com presença p.ex. em montras de lojas, no Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MUNHAC) e no Mercado TimeOut.

Realidade aumentada e experimentalidade

Para honrar o twist tecnológico do festival, será ainda utilizado o mobiliário eletrónico da cidade e nos seus ecrãs de smart signage – vídeo-painéis e Tomis, por exemplo -, assim como na Internet e redes sociais. Destaca-se o lançamento de uma plataforma de realidade aumentada, batizada de Second City.

André Sier, Carlos Noronha Feio, Leonel Moura, Margarida Sardinha, Miguel Palma, Eva e Franco Matte, Lynn Hershman Leeson, Mateusz Herczka, Miza Coplin e John Klima são alguns dos nomes nacionais e internacionais confirmados.

A título de exemplo há já imagens de divulgação da obra Knotwork, da artista Margarida Sardinha. Um filme experimental de ilusão ótica, com duração de 22 minutos, baseado nos nós celtas e na teoria matemática dos nós e que utiliza movimentos rotativos supersimétricos, assim como mandalas coloridas homeomórficas  geométricas.

Está programado ainda um concerto de live coding pelos artistas Alexandra Cárdenas Ryan Kirkbride, na sexta-feira de quatro de novembro, às 21h30, no Estúdio TimeOut. Cárdenas utilizará o ambiente de programação denominado SuperCollider e à linguagem TidalCycles para descrever os padrões da sua música, enquanto Kirkbride apresentará uma linguagem semi-improvisada de live coding, o Fox Dot, combinando a manipulação de samples e sons digitalmente sintetizados.

The New Art Fest, a inovação cognitiva nas artes contemporâneas

No último dia, realizar-se-á no MUHNAC um seminário sobre a inovação cognitiva nas artes contemporâneas, com a participação de vários oradores nacionais e internacionais, artistas e empresas de tecnologia.

The New Art Fest ambiciona tornar-se num dos nós da rede mundial e festivais culturais orientados para a 4.ª Revolução Industrial, com especial enfâse na localização estratégica de Lisboa enquanto plataforma europeia de aproximação criativa entre a América, África e Oriente.

O festival acontece e nasce na mesma semana a que chega a Portugal o Web Summit, o maior evento de tecnologia e inovação da Europa, sendo por isso o momento ideal para disseminar as artes de base tecnológica e cognitiva em Portugal e potenciar novas sensações e experiências estéticas, assim como um debate cultural.

O programa completo será divulgado em breve.